Publicidade
Manaus
Judaísmo

Tradição judaica em Manaus: menino de três anos corta o cabelo pela primeira vez

Diferente de outras crianças, o aniversário de Chaim Dovid Yona foi para festejar o corte de cabelo. Agora ele pode usar kipá e aprender os mandamentos do Torá, o livro sagrado dos judeus 20/08/2016 às 13:04 - Atualizado em 21/08/2016 às 08:56
Show judeu
Os convidados também puderam cortar algumas mechas do cabelo do menino. (Foto: Antônio Lima)
Kelly Melo Manaus (AM)

Chaim Dovid Yona fez três anos esta semana. Mas diferente de outras crianças, o aniversário teve um toque especial:  pela primeira vez, os lindos cabelos encaracolados dele foram cortados. O pequeno é judeu e na cultura judaica é a partir dessa idade que o menino deixa de ser um bebê  para se tornar uma criança que entende e pode responder pelos seus atos, de acordo com os ensinamentos da Torá, o livro sagrado dos judeus.

“Esse é um momento muito especial para todos nós. Não só porque ele terá o cabelo cortado pela primeira vez, mas também porque é a partir de agora ele irá estudar a Torá, usar o kipá  e o tzitzit”, disse a mãe, Deborah Lea Raichman, 29. 

O kipá e o tzitzit são acessórios importantes no Judaímo.  O primeiro é parecido com um chapéu que fica no centro da cabeça e apenas os homens o utilizam. O significado dele é para lembrar que Deus está acima do homem o tempo inteiro.  Já o tzitzit, são vários fios ou franjas  que ficam fixados na cintura e representam os 613 mandamentos deixados por Deus. 

O corte

“Estou feliz porque vou cortar o cabelo”, disse o pequeno Chaim, um pouco tímido, enquanto esperava o momento da mudança. 

Durante a festa, o famoso  “parabéns” não veio, mas antes de a primeira mecha ser cortada perante os convidados, o aniversariante cantou e recitou as letras do alfabeto hebraico. Assim como os outros três irmãos mais velhos, Chaim conversa com a família em inglês, hebraico e ídiche, um dialeto judeu. 

A avó materna, Deborah Raichman, foi a primeira a cortar o cabelo do neto. Emocionada, ela afirmou que agora ele será um homem. “Fiquei bastante honrada com a oportunidade até porque ele herdou o nome do meu pai. Esse é um momento que marca bastante para todos nós”, disse. 

Depois da avó, cada convidado foi convidado pela família para cortar alguns fios do cabelo do pequeno Chaim.

Tradição

O pai de Chaim,  Arieh Raichman, 32, explicou que esse é um dos momentos mais importantes da criança, pois é a partir dele que o menino será ensinado e doutrinado conforme manda a tradição. 

Arieh é rabino e coordenador da instituição Beit Chabad há sete anos. Além de funcionar como sinagoga, local onde os judeus fazem suas orações, o local também funciona como centro de ensino da  Torá para judeus e não judeus. A instituição possui 3,5 mil unidades pelo mundo inteiro. 

Questionado sobre o motivo manter os cabelos do menino intactos por três anos, o rabino explicou que assim como a árvore, os cabelos possuem raízes e é o ponto de conexão com o subconsciente humano.

Centro de formação em Manaus

Beit Chabad Manaus, localizado na rua Rio Pauini, no Vieiralves, na Zona Centro-Sul, é um espaço dedicado não apenas à realização de reuniões religiosas, mas também é um espaço que oferece vários  programas de educação para promover o conhecimento e a consciência judaica.  A instituição foi inaugurada em Manaus em 2009, sendo a primeira na Amazônia. O rabino Arieh Raichman e a esposa dele, Deborah Raichman são os coordenadores do projeto na capital, desde então. “Damos aulas sobre a Torá e ensinamos a conviver como verdadeiros judeus. Estamos aqui para transmitir a mensagem e os mandamentos da Torá”, destacou  Deborah. 

Publicidade
Publicidade