Domingo, 26 de Maio de 2019
Manaus

Material escolar apresenta diferença de preços de até 700%

É o que mostra a pesquisa divulgada ontem pelo Procon-AM, com o objetivo  de orientar pais e responsáveis por alunos



1.jpg
Pais devem pesquisar preços nas livrarias se quiserem economizar na compra da lista de material escolar, diz Procon
15/01/2013 às 17:22

O Programa de Proteção ao Consumidor no Amazonas (Procon-AM) divulgou ontem pesquisa sobre material escolar que aponta a necesidade, para variar, de pais e responsáveis por alunos realizarem pesquisas antes de adquiri-los, se quiserem fazer alguma economia. Nos estabelecimentos comerciais, a variação de preço para o mesmo produto chega a 700% (ver tabela ao lado).

Hoje, a partir das 9h, o Instituto de Pesas e Medidas do Amazonas (Ipem-AM), irá com sua fiscalização a campo verificar se as lojas estão vendendo material escolar de acordo com as normas do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Batizada de “Operação volta às aulas”,a fiscalização do Ipem-AM promete ser rígida. Dessa forma, se alguma irregularidade for encontrada, os comerciantes e fabricantes serão autuados, com prazo de 10 dias para apresentarem defesa junto ao órgão. As multas variam entre R$ 400 e R$ 1,5 milhão.

Pesquisa de PreçosAntes de comprar os materiais para o ano letivo do irmão de sete anos, a psicóloga Krisley Cavalcante andou por estabelecimentos nos shoppings da cidade, assim como em livrarias no Centro, na tentativa de encontrar o menor preço.

De acordo com ela, alguns itens se tornam caros apenas pelos temas abordados. Ela citou como exemplos os cadernos de brochura com estampa de desenhos animados, que estão saindo o dobro do preço (R$ 10) desse mesmo tipo de caderno, mas sem estampa (R$ 4,90).

No levantamento realizado pelo Procon-Am, embora não houvesse diferenciação entre marcas, esse item vendido nas livrarias apresentou preços variando de R$ 27,10 a R$ 81,60, uma diferenciação de 201,11%.

Por meio de sua assessoria, o diretor do Procon/AM, Guilherme Frederico afirmou que o levantamento serve como incentivo à pesquisa de preços por parte do consumidor, já que as diferenças podem ser bastante visíveis.

O exemplo usado por ele é uma prova disso: um transferidor, que num loja pesquisada saía a R$ 0,40, em outra não era vendido por menos de R$ 3,20, diferença de 700%.

Confira a tabela de preços pesquisada.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.