Publicidade
Manaus
Manaus

Maternidade Ana Braga, em Manaus, realizou mil partos humanizados em um ano e meio

O parto humanizado é aquele em que a gestante opta pelo procedimento natural, sem indução do parto, uso de anestesia nem realização de cesárea 01/01/2015 às 16:40
Show 1
Maternidade Ana Braga, na Zona Leste, integra a rede estadual de Saúde
acritica.com* Manaus (AM)

A maternidade Ana Braga, a maior da rede estadual de saúde, localizada no bairro São José, Zona Leste de Manaus, atingiu a marca de mil partos humanizados no período de agosto de 2013 - quando implantou programa com esse direcionamento - até dezembro de 2014. O secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, explica que os procedimentos realizados de forma humanizada resgatam e disseminam a cultura do parto natural e dão à mãe o papel de protagonistas, participando das decisões que implicam no seu conforto e do bebê.  
 
Uma diferença marcante no parto humanizado é a maneira de lidar com a gestante, respeitando sua natureza e vontade e dispensando procedimentos como indução do parto, corte do períneo (episiotomia), uso de anestesia e parto cesárea.
 
De acordo com a coordenadora e enfermeira do Centro de Parto Natural (CPN) da maternidade, Vanuza Ferreira Nogueira, as mães que buscam atendimento no local recebem orientações especiais. “No parto humanizado, a protagonista é a gestante e seu filho que está para nascer. Tão importante quanto os procedimentos médicos, também é a atenção e cuidado com o delicado momento em que mãe e filho estão vivendo”, explica Vanuza.
 
Entre as vantagens desse tipo de parto, a enfermeira cita que, além da mulher se recuperar mais rápido, pode assumir a posição de sua escolha que proporcione conforto no trabalho de parto. Pode tomar água, suco ou chá, assim como o cordão umbilical pode ser cortado por alguém da família. “No parto normal tudo ocorre fisiologicamente evitamos intervenções desnecessárias e estimulamos o protagonismo da parturiente, a mulher se estabelece mais rápido, porque o útero volta logo ao lugar. Com isso, se torna independente, de forma mais acelerada”, explica.
 
Além das vantagens físicas, Vanuza lembra que os bebês nascidos de parto humanizado são estimulados a mamar logo na primeira hora, pois é realizado todo um trabalho de contato pele a pele, estabelecendo o vínculo afetivo entre a mãe e a criança. “O pais participam  ou o acompanhante da escolha da parturiente respeitando os seus desejos e valores estreitando muito mais os laços dessas famílias”, acrescentou.
 
Mãe de cinco filhos, a dona de casa Izamar Barbosa, 41, sempre optou pelo parto natural e, na quinta gestação, não foi diferente. Para Izamar, o fato de ter tido o bebê às 7he duas horas depois já conseguir tomar banho sem o auxilio dos enfermeiros é uma grande vantagem do parto natural.  Segundo Izamar, apesar de já ser mãe de outros quatro filhos, cada gravidez foi diferente e a oportunidade de o marido acompanhar o parto e cortar o cordão umbilical foi única. “Ele viu cada detalhe da chegada da nossa filha e isso nos aproximou ainda mais, pois naquele momento senti nossa família unida”, ressaltou a dona de casa.
 
A equipe, formada por 13 enfermeiros obstetras plantonistas e fisioterapeutas, apresenta para cada grávida que chega até o serviço da maternidade Ana Braga o ambiente privativo e acolhedor. “Nós respeitamos o momento dela (mãe) e a equipe trabalha para que tudo aconteça o mais rápido possível e sempre da melhor forma, pois nossa intenção é o conforto de todos da família”, disse a coordenadora do CPN.

PREPARAÇÃO

A fisioterapeuta Maria Lucinete Bentes, que realiza o acompanhamento antes, durante e após o parto, ensinando os exercícios que facilitam a saída do bebê, lembra que o trabalho realizado por toda a equipe é para que a grávida sinta que aquele momento é único e especial. “Nós caminhamos, fazemos os exercícios de relaxamento e respiração, para que o parto aconteça mais rápido e da melhor forma”, disse a fisioterapeuta.
 
De acordo com a coordenadora a equipe trabalha em parceria com o atendimento da rede básica de saúde. Nas terças-feiras e quinta-feiras, as gestantes são encaminhadas pelas unidades da atenção básica e recebidas na Maternidade para o conhecimerento e apresentacao dos servicos  desenvolvido no Centro de Parto Natural. "Nós  explicamos como funciona o parto humanizado e o reflexo da sua adoção na rápida recuperação da mãe e bem-estar do recém-nascido", explicou.

*COM INFORMAÇÕES DA ASSESSORIA

Publicidade
Publicidade