Terça-feira, 24 de Setembro de 2019
Manaus

Maternidade Moura Tapajóz fortalece Método Canguru

A Prefeitura de Manaus ampliou a quantidade de leitos para a aplicação do método utilizado na assistência neonatal



1.jpg Método Canguru promove a atenção humanizada ao bebê prematuro
05/03/2013 às 19:41

A maternidade Moura Tapajóz, da Prefeitura de Manaus, credenciou junto ao Ministério da Saúde, quatro novos leitos de Unidades de Cuidados Intermediários (UCIs) utilizados na assistência neonatal do Método Canguru, que promove a atenção humanizada ao bebê prematuro.

Com o credenciamento, o Ministério da Saúde fará o repasse de R$ 150,00 por dia de internação, em cada leito que estiver sendo utilizado.

Além dos quatro novos leitos credenciados pelo Método Canguru, a maternidade Moura Tapajóz já oferece atendimento com outros 10 leitos, sendo cinco de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e mais cinco de UCIs. “A verba repassada é um estímulo para o fortalecimento do Método Canguru, um trabalho que deve ser contínuo e permanente em busca do cuidado humanizado ao bebê prematuro”, explica o secretário municipal de Saúde, Evandro Melo.

Evandro Melo ressaltou que, como parte do trabalho de capacitação permanente dos profissionais de saúde da maternidade, a Semsa inicia nesta quarta-feira (6), das 19h às 21h30, uma nova sensibilização do Método Canguru. A programação vai seguir até a sexta-feira (8) e tem como público alvo médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, assistentes sociais, fonoaudiólogos e outros profissionais que atuam no cuidado com os recém-nascidos. “A intenção é chamar a atenção dos profissionais para os cuidados especiais aos bebês prematuros, fortalecendo as estratégias do Método Canguru”, destaca.

O Método Canguru é uma estratégia instituída pelo Ministério da Saúde para prestar assistência neonatal ao recém-nascido de baixo peso e que consiste no contato ‘pele a pele’ entre a mãe e o bebê, de forma crescente, permitindo uma maior participação dos pais no cuidado.

As vantagens do método são o aumento do vínculo mãe-filho, menor tempo de separação entre os dois, estímulo ao aleitamento materno, maior competência e confiança dos pais nos cuidados ao filho de baixo peso, menor número de recém-nascidos em unidades de cuidados intermediários, melhor relacionamento da família com a equipe de saúde, diminuição da infecção hospitalar e menor permanência hospitalar.

A chefe do Núcleo de Saúde da Criança e do Adolescente da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Ivone Amazonas, explica que o Método Canguru tem três fases de implantação, que serão concluídas ainda em 2013.

A primeira fase garante ao recém-nascido de baixo peso, quando necessário, a internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com garantia de acesso e participação da mãe e/ou do pai nos cuidados com o bebê; a segunda fase é iniciada quando o estado de saúde da criança está estabilizado, podendo ter o acompanhamento contínuo da mãe em uma enfermaria conjunta até ganhar o peso adequado para alta médica; a terceira fase é o ambulatório de acompanhamento da saúde da criança por uma equipe multidisciplinar até completar 2,5Kg.

*Com infirmações da Assessoria


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.