Quarta-feira, 24 de Julho de 2019
Hospital de Manaus

Médica envolvida em confusão em hospital de Manaus processa mulher que a denunciou

Através de advogado, a médica deu a versão dela sobre o caso. Ela, que apareceu em vídeo discutindo com acompanhante de paciente, afirmou que pediu licença para atender ao telefone



14/12/2016 às 18:13

A médica Olívia Neves, que apareceu em um vídeo discutindo com uma acompanhante de paciente em um hospital de Manaus, divulgou nesta quarta-feira (14), através de um advogado, uma nota de resposta dando a versão dela sobre o caso. A profissional negou ter cometido negligência médica, afirmou que pediu licença antes de atender telefone durante a consulta e diz que ingressou com uma ação judicial contra a acompanhante de paciente. A médica continua afastada.

O caso aconteceu no dia 6 dezembro deste ano. A médica, que tem nome de nascimento Olívia Maria Queiroz da Silva, atendia no Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Enfermeira Eliameme Rodrigues Mady, conhecido como SPA do Galileia, no conjunto Galileia, bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte da capital. Durante a consulta, ela parou o atendimento para conversar ao telefone sobre assuntos pessoais, falou palavras de baixo calão e discutiu com a acompanhante da paciente. Tudo foi filmado e divulgado em um vídeo nas redes sociais.

Na nota de resposta, a médica explica que, no momento da consulta, recebeu uma ligação da babá da filha dela informando que estava passando mal. “Ressalte-se que a aludida secretária (babá) possui outras internações, inclusive com problemas cardiorrespiratórios, já tendo sido hospitalizada outras vezes, com os mesmos sintomas que apresentava naquele dia. Acrescente-se a isso o fato de que sua filha iria ficar sem os cuidados da babá”, consta na nota.

A médica afirmou também que, antes de atender ao telefone, pediu licença da paciente e da acompanhante, Andreia Alves Fogaça, que foi quem filmou e divulgou o vídeo. “O atendimento da ligação teve que se dar por motivo de força maior. Esta (acompanhante) passou a filmar e, mesmo com a médica pedindo para parar, continuou a filmagem, sem qualquer autorização. Vale lembrar que, mesmo tendo proferido palavra de baixo calão, jamais foi dirigido algum impropério à paciente ou até mesmo à acompanhante”, falou a médica na nota.

A profissional afirmou também que naquele mesmo dia havia feito vários atendimentos, “ficando claro que a ligação não se deu por negligência ou por falta de vontade de atender pacientes”. A médica Olivia Neves finalizou a nota afirmando que “jamais respondeu a qualquer processo administrativo na Secretaria de Estado de Saúde (Susam) ou no Conselho Regional de Medicina” e que ingressou com uma ação judicial contra a acompanhante da paciente, Andreia, e que aguarda um posicionamento da Justiça

‘Ela não pediu licença’

A reportagem entrou em contato com a acompanhante da paciente, Andreia, para questioná-la sobre as informações divulgadas pela médica. A acompanhante negou o pedido de licença da médica. “Ela não pediu licença. A gente entrou no consultório e ela não falou nada, só atendeu ao telefone. Até por isso que eu fiquei indignada com a falta de respeito e de atenção. Se ela tivesse pedido licença, com certeza eu teria entendido e isso tudo teria sido evitado”, respondeu.

Continua afastada

Desde que o vídeo do caso foi divulgado nas redes sociais, a médica Olivia Neves foi afastada do posto no SPA do Galileia e também de outras unidades de saúde da rede estadual. Ela responde a uma sindicância administrativa na Susam, que deve ser concluída no prazo de 30 dias, e que podendo ser prorrogado por igual período. No Conselho Regional de Medicina (CRM), a médica também responde por uma sindicância e pode ser processada. Caso seja condenada, ela poderá sofrer penalidades como uma advertência ou até uma suspensão ou cassação do título de médica.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.