Publicidade
Manaus
Manaus

Médicos e pais enfatizam importância do diagnóstico precoce do autismo

Dia 2 de abril é o Dia Mundial de Conscientização do Autismo e órgãos de saúde em todo o globo fazem ações para gerar conhecimento sobre a doença 01/04/2015 às 21:10
Show 1
Gabriel, 11, (foto) teve os primeiros sinais identificados pela mãe quando tinha 1 ano e 4 meses
Auriane Carvalho Manaus (AM)

O diagnóstico precoce da criança que apresenta Transtorno de Espectro Autista (TEA) ainda é a melhor saída para que o pequeno possa ter o controle da doença e tenha inclusão. Quando identificado em menores de 3 anos, a melhora é de 80%, aos 5 anos cai para 70% e, acima disso, a criança fica muito prejudicada.

Para isso, levá-lo periodicamente ao pediatra é fundamental para identificar os primeiros sinais de comportamento e crescimento, uma vez que este profissional estará acompanhando o desenvolvimento motor e cognitivo desta criança. A sugestão é da neoropediatra Lívia Vianez Costa, que realiza atendimento as pessoas com o transtorno.

“Quando identificado alguma alteração, os pais são orientados a procurar um neoropediatra ou psiquiatra, que estão aptos a fazerem o diagnóstico que é totalmente clínico. A partir daí, é orientado que medidas deverão tomar e os profissionais que deverão realizar o atendimento multidisciplinar”, explicou.

Lívia informou ainda, que além do autismo, outras patologias poderão estar associadas ao transtorno, como hiperatividade, déficit de atenção, epilepsia, entre outras. “O tratamento é contínuo e a longo prazo,  por isso oriento aos pais a buscarem apoio nas associações que prestam serviço para autista e até mesmo o Complexo Municipal de Educação Especial André Vidal, localizado na Vila Amazonas, que além de fazer a avaliação também conta com uma equipe multidisciplinar”, orientou.

Diagnóstico do filho

A nutricionista Sálvia Belota, 38, conhece muito bem as dificuldades enfrentadas por um autista. Ela é mãe de Gabriel, 11, e identificou os primeiros sinais quando o filho tinha 1 ano e 4 meses.

“Parecia que ele tinha desaprendido tudo que já sabia, como não saber fechar a porta do quarto. Meses depois ele demonstrava ter a síndrome do pânico. Ele não conseguia ficar em lugares com muitas pessoas”, relembra. 

Ela disse que chegou a questionar o pediatra, na época, mas sempre a informavam que o menino estava normal, até que um dia recebeu uma revista de um amigo no qual falava sobre espectro de autista.

“Todas as descrições pareciam com o Gabriel. Foi quando fui a São Paulo buscar um diagnóstico mais conclusivo. Em seguida, me empenhei em proporcionar a ele tudo que estivesse ao meu alcance e pudesse melhorar a qualidade de vida dele”, desabafou.

Atualmente, o menino cursa a 3ª série da educação infantil em uma escolar particular de Manaus. “A inclusão social é muito importante. Tem uma mediadora que o acompanha em sala de aula, e uma série de profissionais que o ajudam a melhorar a cada dia”, relatou.

Quando retornou de São Paulo, a nutricionista com o apoio de outras quatro mães fundaram a instituição Autismo Gerando Informação com Responsabilidade (Agir) para orientar outros pais sobre a importância do diagnóstico precoce e também angariar recursos para trazer profissionais da área para orientar e capacitar as equipes que atendem em Manaus.

Eventos pela inclusão

Acontece nesta quinta-feira (2), às 20h, a Pedalada da Inclusão, em comemoração da Semana Municipal de Conscientização sobre o Autismo. O evento sairá no Complexo Turístico Ponta Negra, em direção à sede da Prefeitura de Manaus, na avenida Brasil, Zona Oeste.

Durante a programação, a prefeitura receberá um grande banner e ganhará a cor azul com o objetivo de sensibilizar a população em relação à causa do autismo. Além da pedalada, a programação do autismo, coordenada pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), de 26 de março a 11 de abril, inclui caminhada, missa, atividades livres para as crianças, ciclo de palestras e corrida.

A ideia é incentivar a discussão e a conscientização sobre o autismo na sociedade, além de tornar a semana um evento permanente no calendário do município.

Já no dia 11 deste mês será realizada a 3ª edição da Corrida por um Mundo Azul, a partir das 17h, com saída e chegada na Ponta Negra. As inscrições foram prorrogadas até o dia 7 e custa R$ 45, por atleta. Mais informações podem ser adquiridas no site www.endurancemanaus.com.br e www.amazonasesporte.am.gov.br.




Publicidade
Publicidade