Domingo, 21 de Abril de 2019
publicidade
4487_250FC299-DCEB-438D-AF0A-ECEBB0F05594.jpg
publicidade
publicidade

DESABAMENTO

Medo de desabamentos atormenta vida de moradores do conj. Viver Melhor

Infiltração, mofo, instalações elétricas comprometidas são comuns. Defensoria Pública entrou com ação contra Estado e União, mas moradores alegam lentidão


11/03/2019 às 10:10

Infiltração, mofo, instalações elétricas comprometidas e medo, são as descrições de quem mora há anos em uma das etapas do conjunto Viver Melhor, localizado na Zona Norte da cidade. Os moradores, que já entraram com ações na Justiça, temem que algo pior aconteça caso a questão não seja de fato resolvida. Eles também pedem celeridade no processo que foi impetrado pela Defensoria Publica do Estado (DPE-AM) em 2017.

Eles alegam que dois anos após a denúncia, nada andou e o risco, que inclusive já foi comprovado por laudos periciais, continua. “São rachaduras, infiltrações, mofo. Já vieram aqui, comprovaram o risco, o serviço mal feito, mas até agora nada foi resolvido de fato. A gente vive com medo de isso desabar a qualquer momento. Sabemos que foi feito de forma errada. As rachaduras são constantes e vez ou outra a construtora manda alguém fazer uma maquiagem, mas os próprios engenheiros da obra me disseram que tem risco (de desabar)”, afirmou o aposentado Gilson Nascimento, 43. 

Passos lentos

Outra reclamação dele é sobre a falta de andamento no processo impetrado pela DPE. Em 2017, a Defensoria Especializada em Atendimentos de Interesses Coletivos (DEAIC) entrou com uma ação contra o Estado do Amazonas, a Secretaria Estadual de Habitação do Estado do Amazonas (Suhab), a União e a Caixa Econômica Federal para que pagassem indenizações no valor de R$ 133.425.000,00 por danos sociais aos moradores do Residencial Viver Melhor 1 e 2.

A ação foi protocolada na Justiça Federal, mas segundo o morador, até hoje não andou e nunca mais foi feito nada por parte do poder público em relação a isso. “Já fui tentar saber como anda esse processo, mas nunca sabem nada, não informam nada. Vão esperar acontecer uma tragédia para resolver. Mas será tarde demais”. 

Nascimento mora no local com as duas filhas e a esposa, Marinelda Silva, 38, desde 2011. Ela conta que, com três meses, os problemas começaram a aparecer. Hoje ela não consegue dormir direito por conta do receio, pois moram no térreo de um dos blocos da primeira etapa do residencial. “A gente não tem para onde ir. Esse apartamento foi comprado, teve um investimento, né? O que queremos é que algo seja feito o mais rápido possível, pois convivemos com medo constante aqui”, contou.

Em nota a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), por meio da Defensoria Especializada em Atendimentos de Interesses Coletivos, informou que a ação em questão está tramitando na Justiça Federal, sob o número 0002426-27.2017.4.01.3200 e que o Ministério Público Federal e a Defensoria Pública da União também atuam em parceria com a DPE-AM na ação.

Tratativas vão ser iniciadas

Em nota, a Defensoria Pública do Estado ressaltou ainda que as tratativas para a composição do litígio na referida ação serão iniciadas em breve e que o tempo de tramitação do processo independe da DPE.

A Defensoria disse ainda que além dos réus citados no pedido de informações (Suhab, União, Caixa e Estado do Amazonas), também está sendo processado nesta ação o Município de Manaus.

Residencial Viver Melhor

As famílias foram selecionadas no banco de dados da Suhab através dos critérios estabelecidos pelo Ministério das Cidades. O conjunto é o maior do Brasil destinado a famílias com renda de até R$ 1.600. As unidades habitacionais possuem dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço.

publicidade
publicidade
Bombeiros encontram corpo da última vítima desaparecida na Muzema
Justiça decreta prisão de três pessoas pelas mortes na Muzema, no RJ
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.