Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
Manaus

Meninas com idades entre 17 e 12 anos são presas com cocaína e oxi em Manaus

Uma das adolescentes confessou o crime e disse que estava vendendo droga há alguns meses e que faturava, em média, de R$ 200 a R$ 600, por dia



1.gif Adolescentes foram encaminhadas para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI)
16/05/2013 às 08:54

A Polícia Militar apreendeu nesta quarta-feira (15) um grupo formado por adolescentes com idade de 17, 16 e 12 anos de idade. Segundo os policiais elas estavam comercializando droga em via pública na rua B do bairro Novo Mundo, Zona Norte. Elas foram levadas para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI), onde foram autuadas em flagrante pelos crimes de tráfico de droga e formação de quadrilha.

A titular da DEAAI, delegada Júlia Seixas, disse que uma das adolescentes confessou o crime e disse que estava vendendo droga há alguns meses e que faturava, em média, de R$ 200 a R$ 600, por dia. “Depois que elas foram ouvidas foram encaminhadas para a promotoria da Infância e Adolescência”, disse a delegada.

De acordo com informações da Polícia Militar, a apreensão das adolescentes aconteceu por volta das 20h de terça-feira por meio de uma denúncia anônima informando o local onde as meninas estavam comercializando entorpecentes.  Uma guarnição comandada pelo soldado PM Marcelo Miranda foi ao local e fez a abordagem das adolescentes.

Com elas foram encontradas aproximadamente 200 gramas de cocaína e mais 50 papelotes de pasta base cristalizada (óxi). Na delegacia apenas uma assumiu o tráfico de droga e as demais disseram que não sabiam de nada e que estavam somente acompanhando a colega. “Nós estávamos só conversando quando a polícia chegou”, disse a menina de 16 anos.

O que chamou a atenção da polícia foi o fato de se tratar de adolescentes mulheres. A delegada disse que nos últimos meses o número de adolescentes infratores vem aumentando. A maioria acaba sendo apreendida por envolvimento com o tráfico de droga, seguido por roubo e furto de celulares, que são trocados em bocas de fumo por droga.

Para a delegada Júlia Seixas  a maioria ou quase todos os crimes que são praticados por adolescentes tem ligação com o tráfico de droga, inclusive os crimes de homicídios. Há informações que eles são usados por traficantes de droga como pistoleiros para assassinar concorrentes e que têm dívida com os traficantes. 

De acordo com o promotor da Infância e Adolescência, Adelton Melo, o Estado tem a uma parcela de responsabilidade quando não investe em ações para melhorar a qualidade de vida de adolescentes, promovendo escolas com tempo integral, além de espaço para a prática esportiva e lazer, mas é importante a presença da família. “Tem pais que não vem buscar os filhos. Eu penso que eles acreditam que isso aqui é depósito de gente”, disse.

Pais ‘esquecem’ filhos

O promotor da Infância e Adolescência Adelton Melo disse que a situação é preocupante porque cada dia aumenta o número de adolescentes envolvidos com o crime. “Só hoje eu tenho 23 adolescentes para ouvir que foram apreendidos por envolvimento com o tráfico de droga”, disse Melo.

Segundo o promotor, o que é mais preocupante ainda é o comportamento dos pais diante da situação dos filhos. Metade deles é omissa e outra metade “passa a mão na cabeça” e quase todos atribuem a delinquência dos filhos à falta de tempo para acompanhá-los no dia a dia.

“Há pais que não querem ter nenhuma responsabilidade com o filho e que só comparecem à Promotoria quando são conduzidos coercitivamente. Há pais que dizem não aguentar mais o filho em casa e preferem deixá-los aos cuidados do estado”, disse.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.