Publicidade
Manaus
ENSINO

Mensalidades de escolas particulares aumentam 5% em relação a 2017, em Manaus

O período de matrícula está acabando e os pais devem prestar atenção aos reajustes praticados pelas instituições particulares da capital 08/01/2018 às 08:41
Show la salle
A sondagem foi feita em quatro escolas da capital, incluindo o La Salle (Foto: Arquivo AC)
Rebeca Mota Manaus (AM)

Uma sondagem de preços da mensalidade escolar realizada pelo A CRÍTICA apontou reajuste médio de 5% em relação ao ano passado. Foram pesquisadas as mensalidades escolares do 9° ano do ensino fundamental II em quatro escolas particulares de Manaus. Vale lembrar que o período de matrícula está acabando e os pais devem prestar atenção aos reajustes praticados pelas as instituições.

A pesquisa inclui colégios da zona Centro-Oeste, Centro-Sul e Sul da Cidade, em escolas como La Salle, Colégio Martha Falcão, Instituto Batista Ida Nelson e Instituto Adventista de Manaus (IAM). Os preços foram encontrados assim: no colégio Martha Falcão R$ 1863 em 2018 e ano passado custava R$ 1774 pagando até o dia 5 de cada mês o valor diminui. No La Salle o valor era de R$ 1012 e neste ano a escola aplicou um reajuste de e 2,9% ficando de R$ 1042. Já no IAM está R$ 696  este ano. E Instituo Batista Ida Nelson R$ 845 com um reajuste de 5% a mais.

A presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas (Sinepe-AM), Elaine Saldanha, explica que não existe um índice determinado para os aumentos, mas o valor do reajuste deve estar de acordo com as despesas da escola e só poderá ser realizado uma vez por ano.

“Normalmente em agosto de cada ano as escolas fazem o planejamento do ano seguinte. Existe a cobrança com base na lei nº 9870 que cada escola pode ajustar seu preço de acordo como os seus custos. Por isso, não tem como dizer qual o preço médio das mensalidades em Manaus e nem qual a taxa média de reajuste das escolas, pois os custos variam conforme a zona, o tamanho da escola, a infarestrutura oferecida, os laboratórios que oferece, a implementação pedagógica, o corpo docente e outros fatores”, explica. Saldanha.

Custo-benefício

Elaine orienta os pais a visitar a escolas para analisar o que é oferecido na escola para verificar se o preço é justo, analisando o custo-benefício. “Os pais tem que fazer a inspeção na escola, observar infraestrrutura e o que ela oferece aos alunos”, diz.

A presidente explica também o que mais pesa na folha de pagamento das escolas são os professores. “ As escolas têm que ser cada vez mais profissionalizado”. afirma.

Segundo informações do Sinepe, os números de matrículas até o momento é estável. Algumas escolas mantiveram e outras caíram. E, além disso, 25 a 30% é de pais inadimplentes.

Publicidade
Publicidade