Publicidade
Manaus
BONS NEGÓCIOS

Empresários saem do 'comum' e investem em locação de flutuantes em Manaus

Novos flutuantes que têm surgido na capital funcionam apenas para locação particular, ideais para quem quer fugir de ‘espaços públicos’ 17/06/2018 às 08:29
Show zf.l.u.t.u. 11jpg
Empreendimentos oferecem acessórios para fotografias e até ornamentação de festas temáticas para atrair clientes que buscam se divertir com privacidade (Fotos: Divulgação)
Ana Sena Manaus (AM)

Os flutuantes caíram nas graças do amazonense há alguns anos, sendo uma boa opção para quem deseja tomar banho de rio e conhecer novas pessoas. Mas para quem quer mais privacidade ou estar rodeado apenas de amigos e familiares, alguns empreendedores inovaram e criaram espaços particulares, que não são abertos ao público e funcionam exclusivamente para locação.     

Estes flutuantes aderiram a uma nova roupagem e agora são cenários de comemoração de aniversários, despedidas de solteiro e até casamentos. Com a inovação desse mercado, alguns se tornam os preferidos do público por oferecerem um serviço de qualidade, opções para belas fotografias no pôr do sol, bóias gingantes, espaço kids e tem até mesmo quem ofereça calda de sereia para as mulheres tirarem fotos. 

 Hoje a capital amazonense dispõe de uma variedade de casas flutuantes exclusivas para aluguéis com variados preços que vão de diárias de R$ 600 a R$ 1,5 mil. Durante a semana o preço é menor.  A proprietária do flutuante Deck7, Caroline Afonsso, 36, contou que comprou a casa flutuante junto com o marido Nildo Afonsso há mais de um ano para ser um local de lazer para família, mas acabou usando como um negócio para aluguel, após perder o emprego.

Carolinne ressalta que os clientes procuram o local não só para eventos, mas também para passar o final de semana diferente em família. “A procura para fazer evento foi natural. Dia 1º de julho vamos ter o primeiro casamento de um arquiteto e estamos tentando montar um altar no meio do rio. Nosso diferencial é o espaço grande, pois unimos duas casas e temos também um espaço para crianças, cujo aluguel é opcional. Muitas pessoas nos procuram por ser um ambiente grande e diferente. Ano passado um casal passou o natal no flutuante”, informou. Durante a semana o aluguel do flutuante Deck7 é R$ 400 e final de semana chega a custar R$ 600.

Acessórios

Para brincar com o imaginário feminino e fornecer pinturas amazônicas como fundo de fotografias, o F.L.U.T.U, que é um negócio gerenciado por duas mulheres e tem como  slogan #suacasanorio, oferece caldas de sereias, bóias de flamingo e cavalo alado para os clientes ficarem de “bubuia”. A proprietária Juliana Almeida contou que ela e sua sócia Katy Ferreira juntaram as economias e compraram o flutuante, que veio do município de Manacapuru. “Em conjunto, fizemos um projeto, reutilizamos a madeira que foi retirada da casa, tive a ideia das pinturas, que é um dos pontos que os clientes adoram, onde tem uma mensagem de preservação. Eu sou apaixonada por sereias e então tive a ideia de trazer caldas de sereia que são usadas como cortesia no flutuante e nós fomos pioneiras. O objetivo é fazer os clientes se sentirem parte desse imaginário, viajar na cultura amazonense”, contou. 

Juliana disse ainda que atualmente o F.L.U.T.U  é alugado para uma variedade de eventos, desde despedidas de solteiro, aniversários até chá de bebê. Além de liberar a cozinha, as proprietárias oferecem toda louça. As empresárias também possuem uma parceria com empresa que fornecem churrasco e bolos, além de facilitar com a oferta de kits de decoração para os eventos. “Durante a semana nós alugamos a diária por R$ 290 e nos finais de semana R$ 600 para até 30 pessoas, das 8h às 19h.  Só funcionamos mediante reserva, pois somos voltados a um público que prefere um evento mais intimista, entre amigos e família”. O flutuante possui um quarto rústico, e oferece até um violão italiano para quem quiser tocar”. “Nós nos preocupamos de oferecer o melhor ao cliente”. Juliana disse, ainda, que envia para todos os clientes, após reserva, um aviso para cuidado e preservação da natureza. 

Pioneiro

Pioneiro no ramo de flutuantes como meio de hospedagem em Manaus, o flutuante Ecolazer está no mercado desde 2005. “Primeiro tivemos a ideia de fazer um restaurante. Quando vimos que o restaurante não era nossa praia, começamos como flutuante para locação. Na época não existia redes sociais e nem muita divulgação, então a gente atingia um público mais restrito, mais empresas. Com a chegada das redes sociais, começamos a atingir amigos, famílias e virou o que é hoje, uma grande febre”, disse o proprietário do Ecolazer, Lúcio Bezerra.

De acordo com Lúcio, com o grande crescimento de mercado de flutuantes, o Ecolazer que tinha a premissa de levar a casa do ribeirinho para mais perto dos clientes, acabou se reinventando e hoje está em processo de construção de um bar em uma das casas do flutuantes, além de trazer bóias gigantes da China. 

Segurança

A segurança é primordial para quem opta por esse espaço de lazer. A Marinha do Brasil informou que a fiscalização dos flutuantes é feita de maneira diária pelas agências, capitanias e delegacias, sendo que no final de semana as fiscalizações são intensificadas. A Marinha afirmou que a capitania tem o registro de todos os flutuantes legalizados e no casos dos ilegais, são realizadas inspeções pontuais e quando constatado a irregularidade, eles são notificados, autuados, multados e podem ser apreendidos.

Publicidade
Publicidade