Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
ORGULHO DO PAI

'Meu pai vai servir de exemplo para muitas pessoas', diz filho de Arlindo Jr.

Arlindo Júnior deixa cinco filhos. Ele vinha enfrentando uma dura batalha contra o câncer desde 2016



filho_C5E85684-29EA-4055-B68D-3F5D22F8DBFC.jpg Filho do Pop da Selva, Arlindo Neto estava bastante emocionado durante o velório do pai. Fotos: Euzivaldo Queiroz
30/12/2019 às 11:51

Familiares e amigos do ícone do boi-bumbá Arlindo Júnior, falecido na noite de ontem (29), despedem-se desde as 9h50 desta segunda-feira (30) do artista que deixa vivo seu legado à cultura no Amazonas. O corpo do Pop da Selva está sendo velado no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques, bairro Flores, Zona Centro-Sul de Manaus.

"Meu pai vai servir de exemplo para muitas pessoas, mas o momento agora é de luto e de perda. Acredito que foi a vontade de Deus, a gente tenta mostrar ser forte. Sei que ele será imortal", comentou o filho do Pop da Selva, Arlindo Neto.



Emocionado, o artista plástico do Boi Caprichoso, Juarez Lima, relembra momentos vividos com Arlindo durante três décadas. "Ele era um ser humano extraordinário, capaz de entreter a alma humana. Nós da arte estamos todos órfãos, mas essa é a certeza que Deus cuida no tempo certo de todos aqueles que lutaram por algo diferente. E o Arlindo fazia essa diferença não só como artista mas como ser humano. Ele deixa o seu legado de amor à arte e temos a plena certeza de que ele fez algo extraordinário", comentou.

O presidente do Movimento Marujada do Caprichoso, Roberto Vital, fez questão de relembrar a convivência e história do amigo. "Arlindo Júnior talvez seja o que tenha a trajetória mais bonita dentro do boi Caprichoso. Uma história fantástica, de amor, determinação. Para o Movimento Marujada vai ficar uma lacuna muito grande, a gente perde o nosso grande ídolo, não ídolo somente em âmbito local mas nacional, porque o artista para ser completo precisa ter atitude de ser humano e era isso o que ele era".

O secretário de Estado de Cultura (SEC), Marcos Apolo Muniz, não poupou elogios ao artista que dedicou mais de 30 anos à cultura popular no Amazonas. "Ele era um grande artista e amigo de longas datas. Para nós é uma perda difícil de se entender, foi uma pessoa que lutou muito contra essa doença [o câncer] e a gente agora guarda no coração esse sorriso dele, o carisma e acima de tudo o sentimento de gratidão", destacou.

Estiveram no velório do artista também os senadores Omar Aziz e Eduardo Braga, o presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Yedo Simões, além de outras autoridades e figuras públicas.

Arlindo Júnior deixa três filhos do antigo casamento e duas crianças fruto do atual relacionamento. Ele vinha enfrentando uma dura batalha contra o câncer desde 2016. Descoberta inicialmente nos pulmões, a doença avançou para os ossos e também para o cérebro.  Ele fazia acompanhamentos em São Paulo e Manaus. 

Arlindo estava internado desde a quinta-feira (26) em um hospital particular localizado no Centro de Manaus. Devido a complicações em seu estado de saúde, Arlindo foi colocado em coma induzido após sofrer uma parada cardiorrespiratória. 

Trajetória

Levantador de toadas e apresentador do Caprichoso, Arlindo Júnior dedicou mais de 30 anos da sua vida ao boi-bumbá. Na política, exerceu mandato de vereador e atuou como secretário em alguns órgãos do município e do Estado.  

Nos últimos anos, mesmo com a doença, não deixou de fazer shows. No Festival de Parintins deste ano, despediu-se do Bumbódromo de Parintins cantando a toada "Pesadelo dos Navegantes", de Ronaldo Barbosa que ficou eternizada na voz dele.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.