Publicidade
Manaus
Manaus

Mexicana é presa em Manaus com carga avaliada em R$ 1,5 milhão

A apreensão desse tipo de droga, considerada a mais devastadora de todas, não é muito comum em Manaus e o caso  despertou a polícia para a possibilidade de cartéis mexicanos estarem usando o Amazonas como rota do tráfico 29/08/2013 às 08:26
Show 1
Agentes tiveram trabalho de coletar a droga que foi costurada em 49 peças de roupas, carregadas em uma mala
Joana Queiroz ---

A Polícia Federal prendeu em flagrante a mexicana Lorena Flores, 32, no momento que ela embarcava levando uma mala contendo 49 peças de roupas recheadas com aproximadamente cinco quilos de heroína, avaliada em R$ 1,5 milhão. A apreensão desse tipo de droga, considerada a mais devastadora de todas, não é muito comum em Manaus, mas despertou a polícia para a possibilidade de que cartéis mexicanos estariam usando o Amazonas como rota do tráfico de heroína e Manaus como um entreposto.

A apreensão aconteceu por volta das 17h de terça-feira (27) no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. Lorena estava embarcando com duas malas de viagem, uma delas estava com seus pertences e outra, com as roupas recheadas de heroína. A droga foi detectada no momento do check-in, quando carga passava pelo aparelho de raios-x que detectou a presença de substância orgânica.

Segundo o titular da Delegacia de Repressão a Entorpecente (DRE), delegado de Polícia Federal Alexandre Rabelo, a dona das malas foi identificada e conduzida para o posto da Polícia Federal no aeroporto. As malas foram abertas e, em uma delas foram encontradas as peças de roupas – saias e bermudas – todas de fabricação colombiana.

A mulher foi levada para a Superintendência da Polícia Federal, no conjunto D. Pedro II, Zona Centro-Oeste, onde foi autuada em flagrante pelos crimes de tráfico de droga e tráfico internacional. Em depoimento, ela assumiu ser a dona das malas e confessou que foi recrutada na cidade mexicana de Juarez, localizada na fronteira do México com os Estados Unidos. para transportar a droga. Pelo serviço ela deveria receber US$ 4 mil com todas as despesas pagas pelo contratante.

A mulher confessou ainda que recebeu a mala de uma pessoa desconhecida em um hotel no Centro de Manaus. O delegado não descarta a possibilidade da ação de cartéis mexicanos de droga, considerados extremamente violentos, de estarem passando com droga por Manaus. Ele disse ainda que há pouca possibilidade da droga estar sendo consumida na capital. Isso porque, segundo ele, principalmente pelo preço da droga.

As roupas foram desmanchadas pelos peritos para a retirada da total de toda droga que ainda será pesada com precisão.

Apreensão deixa PF preocupada

O superintendente da Polícia Federal no Amazonas, delegado Sérgio Fontes, disse nessa quarta-feira (28) que há grande possibilidade da heroína apreendida no aeroporto de Manaus ser originária da Colômbia. Segundo o ele, o país que já foi o maior produtor de cocaína, hoje é o responsável por 10% da produção de heroína de todo mundo.

Fontes também não descarta a possibilidade de cartéis mexicanos estarem usando o Amazonas como corredor do tráfico de heroína, que antes utilizavam como rota o Caribe e o Pacífico para levar a droga da Colômbia para a Europa passando pela América do Norte.

Para Sérgio Fontes isso é preocupante e leva a polícia a redobrar as investigações para reprimir essa prática principalmente por ser uma droga devastadora cujo índice de recuperação de dependentes é de apenas 10% e também pela possibilidade de cartéis mexicanos estarem fazendo negócios via território brasileiro e pelo Amazonas.

Publicidade
Publicidade