Publicidade
Manaus
ZONA SUL

Militar da Aeronáutica é detido após atrapalhar prisão de homem no Educandos

Em depoimento, o suboficial disse que pegou barra de ferro para ajudar os policiais a efetuarem a prisão do suspeito que acabou fugindo 11/06/2018 às 20:16
Show cicom
Fotos: Arquivo AC
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Um suboficial da Aeronáutica, que não teve o nome divulgado, foi detido nesta segunda-feira (11) pela Polícia Militar e levado ao 2º Distrito Integrado de Polícia, após atrapalhar a prisão de um homem na avenida Presidente Kennedy, no bairro Educandos, Zona Sul de Manaus.

Policiais militares da 2ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) alegaram que ao tentar prender um suspeito em via pública, o suboficial se aproximou com uma barra de ferro e atrapalhou a prisão, tanto que o homem fugiu.

A informação foi confirmada pelo delegado Aldeney Goes, titular do 2º DIP. De acordo com ele, os policiais militares relataram em depoimento que a abordagem era de rotina, pois suspeitaram de um homem na rua Presidente Kennedy, mas que, de repente, durante o procedimento, o militar da FAB se aproximou com o ferro, tirando a atenção dos PMs.

Depois de discussão no meio da rua, o militar das forças armadas foi conduzido para o 2º DIP, onde prestou esclarecimentos. Segundo o delegado, ele alegou que a intenção não era atrapalhar e sim ajudar, mas não soube explicar o motivo de ter se dirigido até o local da abordagem do suspeito já que não era nenhum parente.

“Ele não soube explicar direito, disse que o homem não era parente, nem que era conhecido, mas confirma que pegou uma barra de ferro para tentar ajudar e não atrapalhar. Já os policiais militares alegaram durante tentativa de revista no homem, o militar tentou impedir e acabou atrapalhando, tanto que o suspeito fugiu correndo”, explicou o titular do 2º DIP.

Conforme o delegado, o suboficial foi apresentado na delegacia, no bairro Colônia Oliveira Machado, e, após ser ouvido, assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por desacato à autoridade. Na unidade policial, ele esteve na presença de um advogado e depois de assinar o documento foi liberado. Segundo Goes, o caso será encaminhado para a Justiça. “Ouvi as partes e foi encaminhada para a Justiça”, ressaltou o delegado.

Publicidade
Publicidade