Quarta-feira, 29 de Janeiro de 2020
ENSINO

Militares iniciam capacitação para atuar em escolas de Manaus

Escola estadual Nelson Alves Ferreira, na Betânia, e Prof. Tereza Siqueira Tupinambá no bairro Cidade Nova, irão receber o projeto do Ministério da Educação de escolas civico-militares em 2020



images__13__EE4FFD22-808B-4129-8BCB-032DCE5E8E33.jpg Foto: Reprodução / Internet
12/12/2019 às 09:03

O Ministério da Educação (MEC) dá mais um passo para implementação das escolas cívico-militares, no país. Nesta terça-feira (10) começou a primeira capacitação do programa que contará com 216 escolas até 2023; 54 escolas somente no próximo ano. O modelo foi desenvolvido para promover um salto na qualidade educacional do Brasil.

Em Manaus, os profissionais irão atuar ns escolas estaduais Nelson Alves Ferreira, localizada na Betânia, Zona Sul de Manaus, e Professora Tereza Siqueira Tupinambá, situada no bairro Cidade Nova, Zona Norte. Com a entrada das duas escolas, o AM passa a contar com 12 escolas sob administração de militares em 2020.



Voltado para escolas localizadas em áreas de alta vulnerabilidade social e com baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), indicador que mede a qualidade do rendimento dos alunos, o projeto irá investir R$ 1 milhão [por escola] em novas estruturas, material didático, equipamentos e financiar o novo quadro de professores, que além de pedagogos, irá contar com militares da reserva. Ao todo, no país, foram selecionadas 54 escolas.

Ao todo 170 profissionais da educação e representantes de estados e municípios estão reunidos em Brasília. Eles participam de palestras e oficinas sobre o projeto político-pedagógico das escolas, as normas de conduta, avaliação e supervisão escolar, além da apresentação das regras de funcionamento das escolas e as atribuições de cada profissional.

Segundo o MEC, o treinamento também objetiva abrir espaço para o aprimorar as diretrizes do programa. Ao promover grupos de trabalho, o ministério permitirá que os participantes façam sugestões ao modelo de forma a adequar a implementação das escolas às necessidades de cada local.

O evento é destinado a dois grupos envolvidos no programa: diretores e coordenadores de escolas e pontos focais de secretarias estaduais e municipais de Educação, que trabalharão como multiplicadores da informação em suas regiões.

Os dois grupos iniciaram as atividades nessa terça-feira (11). O primeiro grupo tem programação até sexta-feira (13), enquanto o segundo encerra as atividades amanhã (11).

“O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é uma parceria do MEC com o Ministério da Defesa. Cerca de 1.000 militares da reserva das Forças Armadas, policiais e bombeiros militares da ativa vão atuar na gestão educacional das instituições. Em 2020, o MEC destinará R$ 54 milhões para levar a gestão de excelência cívico-militar para 54 escolas, sendo R$ 1 milhão por instituição de ensino”.

Amazonas

Atualmente o Amazonas possui 10 escolas sob administração de militares. São elas: Colégio Militar de Manus (CMM), coordenado pelo Exército Brasileiro; e Colégio Militar da Polícia Militar, Escola Estadual Marcantônio Vilaça, Escola Estadual Professor Waldocke Fricke de Lyra, Escola Estadual Áurea Pinheiro Braga, Escola Estadual Ten. Coronel Cândido José Mariano, Escola Estadual Senador Evandro das Neves Carreira, Escola Estadual Profª Eliana de Freitas Morais, Escola Estadual Coronel Pedro Câmara, Escola Estadual Jamil Seffair – todos geridos pela Polícia Militar em parceria com a Secretaria de Educação do Amazonas (Seduc-AM).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.