Terça-feira, 07 de Abril de 2020
HABEAS CORPUS

Ministério Público dá parecer contrário à liberdade de irmão do Zé Roberto

Cloves Fernandes Barbosa está preso desde 2016, após ações da operação La Muralha. O traficante irmão de um dos criadores da facção criminosa FDN foi condenado a 31 anos de prisão



show_clovinho_1_0D4330FD-E61B-41FE-A608-AE680EB74886.jpg Foto: Arquivo/AC
26/02/2020 às 19:17

O Ministério Público Federal (MPF) deu parecer contrário ao pedido de Habeas Corpus (HC) do traficante Cloves Fernandes Barbosa, irmão do traficante José Roberto Fernandes Barbosa, um dos criadores da facção criminosa Família do Norte (FDN ). No HC, a defesa de Cloves pedia que o mesmo respondesse pelos seus crimes em liberdade.

O pedido foi submetido primeiro à 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região e foi negado. O parecer ministerial foi assinado pelo subprocurador-geral da república Moacir Mendes de Souza, que justificou a decisão com base no histórico criminal do traficante.



De acordo com o parecer, Cloves é integrante de uma facção criminosa e ficou foragido por sete meses quando da operação La Muralha, deflagrada pela Polícia Federal em 2015, mesmo sabendo da existência de um mandado de prisão em seu desfavor.

Cloves foi condenado a 31 anos e nove meses de prisão, além de ter que pagar R$ 3,727 dias-multa pela prática, em concurso material, dos crimes de organização criminosa e financiamento para o tráfico. Ele é conhecido na facção como “O Homem da Pasta”, por ser o responsável pela administração do dinheiro conseguido com o comércio da droga.

De acordo com investigações da Polícia Federal que resultou na operação La Muralha, Cloves e o irmão Wigo Fernandes Barbosa pertenciam a segunda malha do xerifado da facção e eram temidos dentro dos presídios. Quem desobedecia as ordens deles era castigado. Uma das vítimas dos irmãos foi espancada por eles e por pouco não perdeu o olho.

De acordo com o relatório da operação La Muralha, os irmãos Fernandes comandavam o tráfico nos bairros Compensa, Zona Oeste de Manaus e Morro da Liberdade, Zona Sul. Cloves foi preso em 2016.

La Muralha

A operação La Muralha, deflagrada em 2015, prendeu peças importantes da facção criminosa. Ao todo, o Ministério Público denunciou mais de 120 pessoas e as investigações feitas pela Polícia Federal geraram mais de 20 ações penais. Os principais criminosos que exerciam funções de comando estão presos em presídios federais.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.