Terça-feira, 21 de Maio de 2019
DUPLO HOMICÍDIO

Ministério Público investiga uso indevido de viatura da PM em morte de policiais

Comando Geral da Polícia Militar e Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros têm 10 dias para repassar informações sobre a ocorrência ao Ministério Público



VIATURA-PM_261F293F-4C0A-4D61-BFE3-86826F5F6419.JPG
Foto: Reprodução
12/01/2019 às 02:44

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) encaminhou portaria à Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), para que apresente, no prazo de dez dias, informações e documentos  como termos de depoimentos, auto de exibição e apreensão, laudos e outros, relativos ao suposto uso da viatura da Polícia Militar na ocasião das mortes dos policiais Edizandro Santos Louzada, 30, e Grasiano Monte Negreiros, 36, e tentativa de homicídio contra o major Lurdenilson Lima de Paula e Robson Almeida Rodrigues, 25, ocorrida na semana passada. No veículo, um balde contendo bebidas alcoólicas também foi encontrado. 

Outra portaria foi encaminhada ao Comando Geral da Polícia Militar requisitando, também no prazo de dez dias, documentos e informações sobre as providências tomadas em relação ao uso das viaturas da 18ª Cicom para fins particulares, de acordo com nota expedida por meio da assessoria de comunicação do órgão.

A 60ª Promotoria de Justiça Especializada no Controle Externo da Atividade Policial (Proceap) está atuando em conjunto com a Polícia Civil na apuração do uso irregular do patrimônio público nos crimes cometidos pelo tenente da Polícia Militar Joselito Pessoa Anselmo contra o civil  e os outros três policiais militares, conforme informou, ontem (11), o promotor Victor Moreira da Fonsêca.

De acordo com o promotor, assim que as informações chegaram à promotoria foi instaurado o procedimento para acompanhar o caso. Fonsêca disse que já há provas suficientes do uso indevido da viatura policial, o caracteriza crime de peculato ou improbidade administrativa. Foi verificado e comprovado que o veículo estava à disposição da 18ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que era comandada pelo major Lurdenilson Lima de Paula, um dos sobreviventes da tragédia. 

Inclusão

Diante dos indícios de que os policiais estavam fora de serviço, porém usando para fins particulares veículo e equipamentos da PM, e da gravidade de estarem embriagados, os promotores de Justiça Victor Moreira da Fonsêca e João Gaspar Rodrigues decidiram incluir a investigação do uso da viatura no Procedimento Administrativo.

Bebedeira

Antes da tragédia, ocorrida há uma semana, o tenente Joselito Pessoa, o sargento Edizandro Santos Louzada, o cabo Grasiano Monte Negreiros, o major Lurdenilson Lima de Paula e o borracheiro Robson beberam, juntos, aproximadamente 37 litros de cerveja.

Processo é encaminhado ao TJ-AM

O inquérito do caso das mortes dos policiais militares Edizandro Santos Louzada, 30, Grasiano Monte Negreiros, 36, ocorridas na madrugada do último sábado, será encaminhado à Justiça na próxima segunda-feira, conforme informou o delegado da Polícia Civil Josué Rocha, que é quem está presidindo as investigações. “Nós vamos encaminhar com um pedido de devolução para podermos dar continuidade às investigações”, disse ele. O processo tramita na 3ª  Vara do Tribunal do Júri.

Segundo o que foi apurado pela polícia,  o crime foi praticado no interior de uma viatura descaracterizada, um carro Voyage, quando autor e vítimas estavam saindo de uma festa muito alcoolizados, nas palavras do delegado plantonista da DEHS, Daniel Leão Lucas, que se referiu ao autor do crime como “transtornado”. O tenente está preso preventivamente no Batalhão de Choque da Polícia Militar, e está à disposição da Justiça.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.