Publicidade
Manaus
BOA AÇÃO

Moradoras constroem poços e distribuem água de graça na Zona Leste

Dona de casa conta que pagou R$ 15 mil para empresa furar poço no quintal em 2008, ano que o bairro enfrentava carência na distribuição. Mulheres não cobram pela água e pedem que desperdício seja evitado no local 07/09/2016 às 05:00
Show agu
Água é distribuída gratuitamente aos moradores (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Alik Menezes Manaus (AM)

O gasto de R$ 7 na compra de um garrafão de 20 litros de água pode fazer a diferença no orçamento de muitas famílias no final do mês. Foi pensando nessas pessoas que duas moradoras do bairro Armando Mendes, na Zona Leste, construíram poços artesianos em seus terrenos e distribuem água gratuita para seus vizinhos.

A dona de casa Vanilza Santos Granja, 60, pagou R$ 15 mil para uma empresa furar um poço artesiano no quintal da casa dela, em 2008. E a iniciativa ajuda muitas famílias de várias partes do bairro.

“Foi um custo bem alto, mas era necessário porque o benefício para minha família e para a comunidade em geral é muito grande. Tem pessoas que não tem R$ 7 para comprar um garrafão de água e você precisa de água para tudo, todos os dias, ninguém vive sem água”, contou.

Segundo a dona de casa, há dias que as pessoas formam filas quilométricas na frente da casa dela para pegar água com camburões, baldes e garrafas. “Tem pessoas que vêm de muito longe. Elas colocam os baldes em carrinhos de mão ou em alguns que eles mesmo constroem e vem para cá”, comentou.

Outra moradora que doa água no bairro é a dona de casa Maria do Socorro Siqueria, que há três anos mantém um poço artesiano. De acordo com a dona de casa, há alguns anos o bairro sofria com a falta de água constante.  “Tinha dias que não caia uma gota de água na torneira. Mas melhorou em algumas áreas do bairro”, comentou.

Apesar da melhora no abastecimento, pessoas que moram na parte mais alta do bairro ainda têm dificuldade para ter água na torneira de casa. Por isso atitudes como a da dona de casa são importantes para a comunidade.

Maria é uma das primeiras moradoras do bairro e é conhecida por ser solidária. Mesmo em épocas que a conta de luz aumentou bastante por conta do usa da bomba que puxa a água do poço, ela não cobrou e não cobra pela água. A única exigência da dona de casa é que as pessoas evitem o desperdício.

“Elas são um exemplo a ser copiado”, é o que afirma o eletricista Mário Jorge Santos, 58 anos, que mora no Armando Mendes e que recorre às donas de casa para pegar água e abastecer a casa por até uma semana.

Tipos de poços

O recomendado é que o poço tenha 7 metros de largura por 21 de profundidade. Em poço artesiano convencional, a água permanece dentro do poço e tem de ser bombeada para a superfície. Já no chamado poço surgente, a água jorra naturalmente, por diferença de pressão com a superfície.

Publicidade
Publicidade