Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
1.gif
publicidade
publicidade

Manaus

Moradores cobram solução para corriqueiros crimes no Conjunto Eldorado em Manaus

Assaltos, estupros e latrocínios cada vez mais frequentes no local, bairro PQ 10, colocaram em ‘alerta’ os moradores, que cobram atitude das autoridades


03/04/2015 às 12:21

Na última quarta-feira, o técnico de segurança da Petrobras, Márcio Adriano Batista, foi morto à luz do dia no Conjunto Eldorado, Parque 10, Zona Centro-Sul, vítima de latrocínio. Este não foi o único caso de violência na área, mas foi o ‘estopim’ para os moradores que, revoltados com os índices de violência, clamam por mais policiamento no conjunto.

Para tentar amenizar os roubos e assaltos no local, principalmente na praça do Eldorado e no corredor ecológico do Bindá, os moradores marcaram, para o próximo sábado, uma reunião com o Comando de Policiamento Metropolitano e com policiais da 23º Companhia Interativa Comunitária (Cicom), responsável por atender a área. A Polícia Militar (PM) confirmou a reunião e garantiu que estará presente no encontro.

Insegurança

O enfermeiro Jesem Orellana, 35, vive há sete anos no conjunto e foi um dos moradores que procurou a polícia. Ele conta que já presenciou vários assaltos e agressões da janela do apartamento onde mora. “É um absurdo que tenham acontecido, em menos de 7 meses, quatro mortes nesta área. Os assaltos também são cada vez mais frequentes. Muitos são à luz do dia, porque a noite as pessoas evitam transitar pela praça”, relatou.

Segundo ele, os moradores sentem falta de policiamento ostensivo na área. “Quando acontece algum homicídio é que os policiais fazem a ronda por esta área, mas só durante o dia. No último sábado ficaram das 8h às 14h. Nós queremos polícia a noite também, que é quando mais sentimos falta de policiamento”, disse.

Assim como Jesem, a dona de casa Luíza Santos Guedes, 47, relata que já presenciou e foi vítima de assaltos na praça. “Eu vinha do supermercado e cortei caminho pelo ‘passeio’. Fui abordada por dois homens e levaram minha bolsa. É muito comum acontecer esse tipo de roubos por aqui”, conta.

O jornal A CRÍTICA solicitou da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) o número de registros de roubos e assaltos na área, mas até o fechamento desta edição não recebeu resposta.

‘Maníaco’

Em 2012, o caso do “maníaco do Eldorado”, que roubou e estuprou pelo menos 15 mulheres enquanto elas caminhavam ou aguardavam por ônibus no conjunto teve grande repercussão em Manaus. O suspeito Anderson Ferreira da Silva, 28, o “Negão”, foi preso pela Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD) depois de quase um mês de investigação.

Latrocínio no Eldorado

O último assassinato no local aconteceu no dia 24 deste mês, quando o técnico de segurança Márcio Adriano Batista, foi morto ao ser vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte). Segundo informações da polícia, o carro de Márcio estava estacionado na praça do Eldorado, quando dois homens abordaram a vítima com um revólver calibre 38, anunciando o assalto.

publicidade
publicidade
Bolsonaro e Paulo Guedes se contradizem ao falar sobre Zona Franca de Manaus
Celebrações religiosas marcam Sexta-feira da Paixão na Catedral de Manaus
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.