Quinta-feira, 23 de Maio de 2019
ÁREAS DE RISCO

Risco de desabamento de pontes assusta moradores de áreas próximas a igarapés

Em época de cheia, além das inundações, as pontes de madeira representam problema devido às péssimas condições de conservação



PONTE_DE_MADEIRA03333.jpg
Ponte que liga a Raiz à Betânia pode cair a qualquer momento (Foto: Antonio Menezes)
25/01/2017 às 05:00

Além das inundações, outro problema que sempre deixa os moradores de áreas próximas a igarapés preocupados em época de cheia são as pontes de madeira. Em Manaus, a maioria delas apresenta péssimas condições de conservação, representando perigo iminente aos transeuntes. Em alguns desses locais, os comunitários estão fazendo  até “vaquinhas” para comprar material para reformar as pontes ou reforçar a estrutura, para aguentar as ações dos fortes temporais que atingem a cidade neste período do ano e consequetemente a enchente.

Esse é o caso das pontes localizadas no beco São Domingos, bairro Presidente Vargas, Zona Sul. No local, o aposentado Ronaldo de Oliveira da Silva, 46, está arrecadando dinheiro para reformar um trecho da ponte que liga o beco à rua Luiz Antony, Centro. “Na chuva do mês passado um trecho da ponte caiu. Nós arrecadamos dinheiro e conseguimos reconstruí-lo. Agora estamos fazendo uma vaquinha para reformar outro trecho que está com a estrutura danificada. Aqui são os próprios moradores que fazem isso. A prefeitura nunca ajudou”, contou o aposentado.

Ele destacou que, quando chove forte, a enxurrada no igarapé é terrível. A água leva tudo que pela frente, por isso, a ponte tem que ser bem estruturada. Já no auge da enchente, a passagem precisa ser suspensa porque a água cobre a atual estrutura dificultando a trafegabilidade. “Nós vivemos arrecadando dinheiro para comprar tábua, esteio e parafuso para fazer, reformar e reconstruir as pontes. Tudo isso é feito constantemente para manter esses locais transitáveis porque todos que moram aqui precisam dessas passagens”, disse Ronaldo.

Outra ponte que está com a estrutura bastante danificada por conta das últimas chuvas é a  que liga o bairro da Raiz ao da Betânia, ambos na Zona Sul. Localizada na rua Daniel Sevalho, a ponte só não caiu por conta de um suporte que os moradores da região colocaram. “É o que está aguentando, mas é um perigoso porque ela ficou torta e muita gente utiliza essa ponte, principalmente para ir à escola quando as aulas começam”, contou o flanelinha Jhonisson Pacheco, 26, que todos os dias através da ponte leva a filha de dois anos para ficar com a avó.

Na avenida Manaus 2000, no Distrito Industrial, Zona Sul da capital, uma das três pontes que ligam a via às ruas do conjunto Japiim II está em péssimas condições. As outras duas foram reformadas recentemente após serem destruídas pelas fortes chuvas. Mas os moradores que transitam diariamente pelos locais afirmam que a solução seria a substituição por uma ponte de ferro ou de concreto. “A necessidade existe. Muita gente, que mora no conjunto e trabalha no Distrito, atravessa pelas pontes para cortar caminho e pegar o ônibus”, disse o industriário Maycon Silveira, 27.

Provisórias e permanentes

A Defesa Civil de Manaus disse que  constrói pontes provisórias em situações de enchente (cheia do rio Negro). Segundo o órgão, as pontes permanentes são construídas pela Seminf, que tem realizado esse serviço por meio de um cronograma de trabalho. A Defesa Civil informou que monitora junto com a Semmasdh as situações relacionadas à enchente.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.