Publicidade
Manaus
INSATISFAÇÃO

Moradores da Cidade Nova reclamam de queda de energia na madrugada

Segundo eles, nos últimos cinco dias houve interrupção do fornecimento sempre no mesmo horário e concessionária só resolveu já pela manhã 02/09/2017 às 09:36
Show whatsapp image 2017 09 02 at 09.08.06
Morador exibe a conta que paga em dia, mesmo insatisfeito com o serviço
Rebeca Mota Manaus

Há cinco madrugadas seguidas, moradores da rua Menino Jesus, bairro Cidade Nova 2, na Zona Norte de Manaus, reclamam de uma interrupção não programada no fornecimento de energia elétrica. Nesta madrugada, dia 2, o problema ocorreu novamente. Segundo eles, desde às 01h o abastecimento foi interrompido e mesmo ligando diversas vezes para a Eletrobrás Distribuição Amazonas a equipe de manutenção só surge de manhã para resolver o problema temporariamente. Quando chega a noite, segundo eles, a energia cai  novamente. 

De acordo com o operador de máquinas, Sidomar Silva, ontem (01) também  houve a queda de energia, às 00h00 e só conseguiram solucionar o problema às 10h. "Eu me sinto lesado por pagar as contas em dias e a empresa não prestar um serviço  de qualidade para a população.  Esse problema já  acontece vários dias. Daqui da minha residência eu consigo perceber que a linha fica sobrecarregada. Já ligamos para a Eletrobrás e eles sempre dizem para nós aguardarmos e que eles estão  com outra demanda", diz.

Quem também reclamou da falta de energia foi a dona de casa, Gabrielle Gomes. Segundo ela, as quedas de energia no bairro ocorrem todas as madrugadas e já se contabilizaram cinco dias seguidos. Em todo o verão amazônico sempre ocorre  este problema, protesta ela

"Nós já sabemos que quando o verão chega vai faltar energia aqui e eles não procuram resolver. Nós não conseguimos dormir por interromperem a energia justamente no horário que vamos dormir. Precisamos que esta empresa cumpra com seu papel, nós estamos pagando por isso", reclama. 

A reportagem entrou em contato com a Eletrobrás Distribuição Amazonas, para falar sobre o problema, mas até a publicação desta matéria não obtivemos respostas.

Publicidade
Publicidade