Domingo, 13 de Outubro de 2019
Manaus

Moradores denunciam mau cheiro de casa completamente tomada por sucatas

A propriedade inteira está tomada pela sucata que atinge até mesmo a calçada, de onde é possível sentir o odor nauseante dessa mistura



1.jpg Naldir Mendes, mãe do colecionador profissional de sucatas e o filho José Carlos Mendes são os moradores da casa que revolta os vizinhos na Zona Leste
29/01/2015 às 20:56

Os vizinhos da casa 107, no beco Espírito Santo, na rua Vitória, localizado no bairro Coroado 1, Zona Leste, estão revoltados por morar ao lado de um colecionador profissional de sucatas há cerca de 15 anos. Isso porque o proprietário da casa, o José Carlos Mendes, 60, mais conhecido como “Zé dos Cachorros”, leva para sua residência toda sorte de material que já foi jogado fora. Geladeiras, madeiras, baldes, correntes, pedaços de bicicleta, televisão... A propriedade inteira está tomada pela sucata que atinge até mesmo a calçada, de onde é possível sentir o odor nauseante dessa mistura.

30 tonelada de lixo

Em julho de 2010,  a Defesa Civil do Município retirou 30 toneladas de lixo da casa de José Carlos porque a residência havia desabado. Na época, ele já morava com a sua mãe, Nadir Mendes no endereço, atualmente ela tem 83 anos.

Reciclagem

José Carlos alega que é da sucata que ele retira o dinheiro do seu sustento. “Vivo disso, eu e a minha mãe. Trabalho reciclando e salvando a natureza. E tem mais, essa casa é propriedade minha, ninguém pode tirar a gente daqui e nem tem que se meter no que guardo dentro do meu terreno”, para justificar o que diz, José Carlos mostra um recibo de 2013, o cliente seria a empresa Multiplas Resinas da Amazônia, mas não apresenta qualquer valor em dinheiro ou especificação da mercadoria negociada ou serviço prestado. De acordo com os vizinhos, o José Carlos não vende a sucata que guarda, apesar de ser isso que ele diz, os vizinhos garantem que já viram pessoas tentando comprar algo, mas não conseguem fazer a compra porque José Carlos diz que já está vendido, mas a quantidade de sucata só aumenta. Os vizinhos suspeitam, ainda, que o sustento da casa é providenciado pela Nadir, a mãe dele, que está aposentada.

Doenças

Em tempos de chuva, uma das preocupações dos vizinhos de José Carlos são as doenças a que estão sujeitos. Eles temem  a enfermidades como a febre chikungunya, a dengue, a leptospirose.

O colecionador de sucatas é chamado de “Zé dos cachorros” devido a quantidade de cachorros que ele tem em casa. São seis cachorros de estimação, segundo José Carlos afirmou. “Ninguém tem que se incomodar com os meus cachorros, estou infringindo a lei?”, pergunta José Carlos e a resposta veio de um dos vizinhos que assitia à entrevista. “Não suportamos mais o barulho que eles fazem!”.

Ameaças

Os vizinhos afirmam que já denunciaram o caso à prefeitura, mas nada foi feito. Sem saber a quem  recorrer, os mais revoltados, contam que podem vir a fazer “uma besteira” com José Carlos. Para eles, essa parece ser a única forma de garantir o direito a paz em suas casas, sem o fedor, sem os latidos e sem o medo de ficarem doentes.

Preocupação com o bem estar e segurança

Além da preocupação pessoal dos vizinhos com a própria comodidade e segurança, eles também chamam a atenção para o bem estar e, especialmente, para a saúde da senhora de 83 anos que mora com o colecionador de sucatas, a Nadir Mendes.  Para Nadir, mãe de José Carlos Mendes, o filho é tudo que ela tem.

“Ele é o único que cuida de mim e nós não devemos favor a ninguém, nos sustentamos”, afirma a senhora de 83 anos, com a voz fraquinha e falhando, ela reclama de dores nos joelhos, mas afirma que são problemas naturais da idade.

Apesar de morar em um visível caos que é a casa do filho, ela o defende e garante que está muito bem morando com ele, a sucata e os seis cachorros.

Vizinhos relatam, ainda, que não há banheiro na casa e que os dois fazem as suas necessidades em um balde e despejam o conteúdo no esgoto da rua Vitória, no beco Espírito Santo, localizado no Bairro Coroado 1, Zona Leste.

Boatos

No papel de mãe, Nadir ignora o boato sobre o banheiro e afirma que os vizinhos implicam com o filho dela e que só estão reclamando porque não têm mais o que fazer e reafirma várias vezes que a propriedade é deles (dela e do filho), que eles não vivem do favor de ninguém e que os vizinhos não devem se incomodar com os dois.

“Moramos aqui a 20 anos e eles (os vizinhos) não param de nos perturbar. O meu filho tem esse material aqui em casa porque é o trabalho dele”, indigna-se Nadir.

 Notificação

A secretaria municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) já foi notificada sobre o caso de Nadir Mendes e deve ir até o local hoje,   para verificar a situação, de acordo com que for visto durante a visita, a secretaria (da prefeitura de Manaus) garante que irá tomar as providências cabíveis para o caso.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.