Publicidade
Manaus
ZONA OESTE

Moradores do Campos Sales denunciam fumaça de fábricas no Tarumã, na Zona Oeste

Fumaça acompanhada de forte cheiro tem sido causado por duas fábricas que produzem asfalto, segundo moradores. Ipaam confirmou a existência de denúncias e vai investigar se fumaça é infração ambiental 22/07/2016 às 12:07
Show fuma a
Transtorno tem sido causado por duas fábricas que produzem asfalto (Foto: Winnetou Almeida)
Kelly Melo Manaus (AM)

Todos os dias, a dona de casa Walcilene Lima Correia, 22, tem que fechar as janelas e portas de sua casa localizada no bairro Campos Sales, na Zona Oeste, de forma forçada antes do anoitecer, para evitar que a fumaça acompanhada por um forte cheiro cause mal-estar à filha dela, um bebê de 1 ano. O transtorno, segundo ela, tem sido ocasionado por duas fábricas que produzem asfalto, no bairro Tarumã, na mesma zona.

A rotina inicia todo fim de tarde, quando as empresas começam a operar, a fumaça escapa pelo teto e dissipa pelos bairros das proximidades.

Não é de hoje que o problema persiste. Mas nas últimas duas semanas, a situação tem piorado devido às poucas chuvas. A nuvem de fumaça negra começa no fim da tarde e perdura durante boa parte da noite. 

O soldador Antônio Nunes, 43, afirma que todos os fins de tarde, momentos após a empresa iniciar o processo de fabricação do asfalto, a fumaça negra se alastra pelo bairro. “A fumaça é forte e o cheiro é insuportável. Tem dias que está mais forte, e em outros, mais fracos, mas isso incomoda porque a gente sente até dificuldade para respirar”, afirmou ele, que mora no bairro há seis anos. De cima da casa dele dá para observar a dimensão que a fumaceira atinge, conforme a direção dos ventos.

Assim como Antônio, outros moradores reclamam da coluna de fumaça que se forma e afirmam que cheiro forte é prejudicial para a saúde. “A gente fica com ardência nos olhos, respirando com dificuldade. Se para um adulto é ruim, imagina para uma criança?”, questionou o padeiro Franciney Cavalcante, 46 anos. De acordo com os moradores, a fumaça vem de duas empresas que ficam na avenida do Turismo, no Tarumã.

Denúncia

A CRÍTICA foi até as empresas CDC e Tarumã na tentativa de ouvir os responsáveis, porém funcionários disseram que nenhum diretor estava no local para dar informações sobre a origem da fumaça. Ainda de acordo com os moradores, denúncias foram feitas para aos órgãos ambientais, para tentar solucionar o problema.

Ontem, a Gerência de Fiscalização do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) confirmou que recebeu as denúncias do problema causado pelas empresas e que irá enviar fiscais no empreendidos para verificar se elas estão licenciadas pelo instituto para atuarem nessa modalidade. O Ipaam também vai investigar se a fumaça produzida pelas empresas configuram infração ambiental.

Publicidade
Publicidade