Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
MEDIDA

Moradores do Monte Horebe fecham trecho da av. Torquato Tapajós em protesto

Lideranças do movimento destacaram que um novo protesto contra a reintegração de posse da área deve acontecer neste domingo (1°)



monte_horebe_B39D1273-F7B4-402A-9B0A-3F08F9B03822.JPG Foto: Divulgação
29/02/2020 às 19:36

Inconformados com a anunciada ação de reintegração por parte do Governo do Estado, que acontecerá na próxima segunda-feira (2), a partir de 6h, moradores da invasão Monte Horebe fizeram, na tarde deste sábado (29), uma manifestação com cartazes e interditando parte da pista da avenida Torquato Tapajós.

Na sexta-feira (28), o vice-governador e secretário-chefe da Casa Civil, Carlos Almeida, destacou que equipes do governo farão triagem das famílias que moram na área para a devida assistência. E que todos os critérios mínimos para a garantia da dignidade humana na remoção serão assegurados, como grande diferencial da reintegração.



A manifestação começou às 15h e encerrou por volta de 18h e teve a participação de aproximadamente 2 mil moradores da polêmica localidade situada na Zona Norte da capital amazonense. Um novo protesto deve acontecer neste domingo pela manhã, mas ainda sem horário definido, informaram lideranças ouvidas por A Crítica.

A interdição da pista neste sábado começou total e depois passou para parcial com o prolongamento do protesto, provocando um grande congestionamento próximo a uma empresa multinacional de motocicletas.

Policiais do Batalhão de Trânsito (Batran) da Polícia Militar foram acionados ao local, mas, segundo apurou A Crítica, não houve distúrbios ou confronto entre PMs e manifestantes.

De acordo com o pastor evangélico Samuel Tavares, membro do Ministério Internacional da Liberdade e um dos mobilizadores do manifesto, o que os moradores do Monte Horebe querem é a manutenção da posse das suas residências.

“Conseguimos mobilizar cerca de oito ônibus pra trazer as pessoas, mas outras vieram para a manifestação a pé. No total, reunimos aproximadamente 2 mil pessoas fechando as duas vias da avenida Torquato Tapajós. Mostramos a força dos moradores, do povo do Monte Horebe”, afirmou o pastor, conclamando os moradores para um novo protesto.

“O povo do Monte Horebe não vai desistir e neste domingo iremos protestar de novo. Só o que queremos é a posse da terra”, disse Samuel Tavares.

O religioso questionou  porquê “as autoridades não fazem uma reintegração de posse no bairro da Betânia, onde recentemente 17 pessoas foram assassinadas?”.  

O porta-voz dos moradores retrucou que a população da invasão esteja ao lado do crime. “O que queremos é o combate ao crime, pois a comunidade nunca ofereceu resistência à polícia. Houve um tempo no qual a cavalaria da PM andava direto aqui no Monte Horebe. Não estamos mancomunados com bandidos, pelo contrário”, garantiu o religioso.

Reunião

No início do dia, cinco pastores, que se intitulam líderes da ocupação, e cerca de 150 pessoas participaram da conversa cujo objetivo era organizar a mudança das famílias.

O governo estadual informou que colocou à disposição caminhões para os interessados retirarem os pertences. Entretanto, as pessoas presentes à reunião não manifestaram interesse em utilizar os veículos para remoção dos móveis e, por isso, os caminhões não foram deslocados para a área, afirmou o Governo do Estado em comunicado oficial.

Representantes da Secretaria de Segurança Pública, do Gabinete de Gestão Integrada, da Polícia Militar, Polícia Civil e Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM) reuniram com moradores da ocupação irregular Monte Horebe, na Zona Norte de Manaus, na manhã de hoje, para conversar sobre a ação de reintegração que ocorrerá no local, resultado de um acordo judicial firmado pelo Governo do Amazonas com a DPE para recuperação da área e assistência às famílias.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.