Publicidade
Manaus
Zona Norte

Moradores do Novo Aleixo cobram retirada de invasores de Área de Preservação

Segundo moradores do loteamento, assentamento indígena promove desmatamento da área verde e causa morte de animais silvestres. Semmas afirma que o local vem sendo monitorado pelos órgãos competentes 25/07/2016 às 08:40 - Atualizado em 25/07/2016 às 08:43
Show loteamento
Área invadida foi ‘batizada’ como Assentamento Kokama Tykuna, no Parque das Garças (Foto: Márcio Silva)
Juliana Geraldo Manaus (AM)

Moradores do loteamento Parque das Garças, no bairro Novo Aleixo, Zona Norte, cobram a retirada de famílias que há mais de um mês invadiram uma Área de Preservação Ambiental (APA) na avenida Nathan Xavier.

Segundo eles, além de promover o desmatamento da área verde e causar a morte de animais silvestres, a ocupação, que recebe o nome de assentamento indígena Kokama Tykuna -, vem causando diversos transtornos a quem mora próximo ao local.

“O sentimento é de medo porque além de desmatar e matar animais como cutia, macaco e preguiça, começamos a ver situações de assaltos e tráfico de drogas no local. Eles também ameaçam as pessoas para que elas não façam denúncia”, disse um morador que preferiu não se identificar.

Outro morador se queixou da ausência do poder público para tomar uma atitude que promova a retirada definitiva dos ocupantes. “A Polícia Ambiental  esteve aqui para a retirada, mas eles voltaram e ficou por isso mesmo. Nosso apelo é que seja tomada uma medida mais forte. Muitas pessoas  foram na Delegacia do Meio Ambiente e nada foi feito. A impressão é que estão fazendo ‘vista grossa’ para o assunto”, relatou.

Algumas famílias que moram nos arredores foram notificadas de que uma ação está sendo organizada entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e outros órgãos como a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) e o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), mas que ainda não há data definida para a ação.

Ação conjunta

As áreas do bairro Novo Aleixo e do loteamento Águas Claras vem sendo invadidas com mais intensidade desde 2011, com queimadas predatórias, prejuízos às espécies animais da região e construção de casas de alvenaria em áreas reservadas para proteção ambiental. As ações para tentar desocupar os espaços são feitas pela Polícia Militar, Ipaam e Semmas.

Grupo fará retirada

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) informou, por nota, que  diversas ações foram realizadas no assentamento Kokama Tykuna. As mais recentes no âmbito do Grupo Integrado de Prevenção às Invasões em Áreas Públicas (Gipiap), com a participação de vários órgãos e que  resultaram na retirada, no último dia 13 de julho, de armações de barracos e várias cercas e piquetes utilizados para demarcação de lotes tanto na área verde quanto na área de preservação permanente do loteamento Parque das Garças. O trabalho contou com a participação da Semmas, Superintendência Estadual de Habitação (Suhab) e a Força Tática da Polícia Militar do Amazonas.

A nota ressalta que o local é alvo constante de invasões e vem sendo monitorado pelos órgãos. De janeiro a julho, são 24 focos monitorados e alvo de ações dos órgãos que integram o Gipiap. Em alguns casos, os invasores insistem em retornar às áreas ampliando o dano causado ao ambiente. O trabalho de monitoramento continuará, com novas retiradas.

Publicidade
Publicidade