Publicidade
Manaus
MANIFESTAÇÃO

Moradores protestam contra falta de água e valores abusivos cobrados nas faturas

Uma das manifestantes, residente no Tarumã, relatou que já recebeu uma conta de água no valor de R$ 3 mil. A concessionária Manaus Ambiental diz que vai se pronunciar sobre o caso 20/06/2018 às 15:57 - Atualizado em 20/06/2018 às 16:05
Show manifesta  o jair
O ato começou por volta das 7h e contou com o acompanhamento de uma viatura da PM (Foto: Jair Araújo)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Cerca de 300 famílias realizaram na manhã desta quarta-feira (20) uma manifestação na rua Coletora 1, no conjunto Cidadão X, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus, contra falta d'água e valores abusivos cobrados em faturas da Manaus Ambiental. O ato contou com o acompanhamento de uma viatura da Polícia Militar. Os moradores alegam que 200 pessoas estão sem água desde da última segunda-feira (18).

Segundo a moradora Suzy Santos, 40, as cobranças abusivas da Manaus Ambiental começaram há três anos. Na ocasião, os moradores resolveram entrar com uma ação na Justiça do Amazonas contra a concessionária. “Isso já dura anos. Tivemos uma audiência e nada foi acertado. A Manaus Ambiental informou que aumentou a cobrança porque fizeram manutenção no nosso bairro, mas isso não aconteceu”, contou Suzy.

A moradora também comenta que na última segunda-feira (18), a Manaus Ambiental decidiu suspender o abastecimento de água de 200 famílias. “Muitos aqui estão sem água desde segunda. Os funcionários da Manaus Ambiental vieram aqui e cortaram a nossa água”, relatou.

Durante a manifestação, os moradores interditaram “parcialmente” os dois sentidos da rua Coletora 1 e também colocaram em fileiras objetos como paus e pneus, além de prometerem novos protestos. “Só estamos deixando passar os moradores, porque estamos protestando contra a Manaus Ambiental. Se não tivermos uma resposta, vamos queimar os objetos pela tarde. Queremos chamar atenção de todos e vamos conseguir”, destacou Suzy.

Valores abusivos

A desempregada Sandra Almeida, 26, comentou que mora próximo a rua Coletora 1 com dois gatos. Segundo ela, mesmo não utilizando com frequência o serviço de água, a conta dele já chegou com o valor de R$ 400. "Eu nem fico o dia em casa e a Manaus Ambiental me manda uma conta com esse valor. Isso é um absurdo. Estamos nesse processo da justiça, por isso me recuso a pagar este valor. Até o momento, estou com água, mas isso pode ser mudar nos próximos dias", disse.

A cabeleireira Keiciane Costa, 30, afirmou que a Manaus Ambiental estava cobrando R$ 3 mil pelo serviço de água na casa dela. Ela conta ainda que foi uma das afetadas com a interrupção do serviço desde última segunda-feira (18). "Estava em casa e quando sai vi os funcionários da Manaus Ambiental cortando a água. Os questionei e eles falaram que tinham que fazer aquilo mesmo. Há anos estamos batalhando na Justiça contra a Manaus Ambiental. Eles já chegaram a me cobrar R$ 3 mil por mês, mas não pago", completou.

Motivo

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Manaus Ambiental informou que busca proximidade com os moradores do Cidadão X, e, em breve, apresentará plano de regularização e cronograma de ações no local. O órgão também destacou que se coloca à disposição da população e destaca que tem “no diálogo um instrumento norteador para a melhoria dos serviços de saneamento”.

Publicidade
Publicidade