Publicidade
Manaus
Manaus

Moradores plantam bananeiras para tapar buracos na Zona Norte

Comunidade preenche crateras com árvores, faz manifestação, fecha rua e ao final comemora o resultado com o trabalho emergencial iniciado pela Seminf 12/06/2015 às 10:36
Show 1
Bananeiras de até dois metros de altura foram plantadas nos buracos formados ao longo de toda a rua Santo Afonso
acritica.com Manaus

O microempresário Lúcio Dourado anuncia o fenômeno com voz séria: “É a primeira vez que vocês vão ver uma bananeira dar asfalto ao invés de banana”, afirma ele ao mostrar de uma forma diferente as péssimas condições da rua Santo Afonso, no bairro Colônia Terra Nova, Zona Norte. Lá, a comunidade aproveitou os buracos para plantar bananeiras em forma de protesto. O resultado da manifestação foi comemorado pelos moradores.

A plantação mobilizou pelo menos 30 pessoas da comunidade Jardim São Luís, na Zona Norte, onde fica a rua das bananas. Segundo o microempresário, as dez bananeiras usadas foram cedidas por um vizinho. “Um erro não justifica o outro, mas nesse caso não estamos errando, estamos pedindo socorro. É um meio diferente de fazer uma reivindicação? É, mas foi a forma que nós achamos. Só sobrou isso pra gente”, declarou.

Aos poucos, os buracos na via deram lugar a bananeiras de aproximadamente dois metros de altura. Com o auxílio de barro, pedras e materiais como enxadas, as plantas foram lentamente preenchendo algumas crateras que tiram o sono de muitos motoristas e pedestres, como a comerciante Maria José Lopes dos Santos, 57. Segundo ela, várias pessoas sofreram acidentes devido à situação de descaso na comunidade.

“Minha nora está grávida e meu filho foi levá-la ao médico um dia desses. Ele passou pelo buraco, e ela bateu a barriga e passou mal. Tem outra senhora ali que caiu e ficou vários dias doente. Eu mesma também caí e fiquei com o joelho machucado”, afirmou.

Protesto

Após a instalação das bananeiras, os moradores promoveram um protesto e bloquearam a entrada da rua Santo Afonso. Carros e motocicletas foram impedidos de entrar no local. Policiais da 18ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) acompanharam o movimento.

Durante o protesto, uma equipe da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) iniciou os trabalhos de recapeamento. Um funcionário, que não quis se identificar, disse que o serviço deve ser concluído em três dias.

serviço emergencial De acordo com a Seminf, o serviço iniciado ontem no bairro Colônia Terra Nova é de caráter emergencial e vai amenizar a curto prazo os problemas da comunidade. O bairro deve ser incluído na programação dos mutirões da Seminf e atendido até o final de julho.

Mutirão

A Seminf informou que outras 120 ruas serão asfaltadas na ação. Atualmente os esforços estão concentrados no bairro Cidade Nova. A metodologia que deve ser adotada é realizar os mutirões por bairros permanecendo no mesmo por até duas semanas.

Publicidade
Publicidade