Publicidade
Manaus
FEDOR

Moradores reclamam de vazamento de esgoto em unidade de saúde em Manaus

O vazamento do esgoto passa na rua Beco Buriti, na Colônia Antônio Aleixo. Moradores relatam que até seringas médicas já foram vistas "circulando" no local 14/09/2018 às 17:54
Show vazamento agora f403d6d6 6785 43ad aa29 eb97cdfe15ba
O problema tem incomodado moradores da Zona Leste de Manaus. Foto: Jander Robson
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Um vazamento do esgoto do SPA, Hospital e Maternidade Chapot Prevost tem incomodado moradores da rua Beco Buriti, na Colônia Antônio Aleixo, na Zona Leste de Manaus. O problema acontece há mais de 10 anos e só piora quando chove no local. Residentes relatam que até seringas utilizadas na unidade hospitalar já foram vistas "circulando" pela rua.

O ajudante de pedreiro, Antônio Marques Fernandes, de 57 anos, mora em uma casa afetada pelo problema. Ele conta que quando comprou o imóvel, no ano de 2003, se deparou com o vazamento. Desde lá, o homem tenta resolver a situação, mas até agora não conseguiu.

"Em 2003, comprei esta casa e já me deparei com o problema. Até resolveram durante um tempo, mas parece que o esgoto estourou lá e a água vem descendo pelo barranco até a nossa rua. A minha casa fica ao lado de onde a água suja passa. É um terror. Fede muito e incomoda demais quem passa por aqui", explicou o ajudante de pedreiro.

O homem conta que entrou em contato com a direção da unidade hospitalar para que o esgoto fosse restaurado. "Já conversamos com o pessoal do hospital. Vieram aqui, fizeram fotos, mas o problema continua. Eu até prometi para mim mesmo que não falaria mais nada disso, porque ninguém faz nada", comentou.

O sonho do ajudante de pedreiro é colocar um muro no local. "Eu moro aqui com a minha esposa e às vezes precisamos fechar a porta, porque não suportamos o fedor. Meu sonho é colocar um muro, para separar a minha casa do trajeto da água. Quando chove, fica tudo alagado aqui. Porque essa água não parar de descer sequer um minuto do dia", disse.

 Outra moradora, que não quis se identificar, afirmou que não suporta mais o fedor do esgoto. "É muito complicado essa situação. Carros, motos e pessoas não conseguem passar quando chove", completou a mulher.

Posicionamento

Em nota, a Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam) informou que, desde que a atual gestão assumiu, vem acompanhando e tomando as providências para solucionar, em definitivo, o problema na área.

Segundo o órgão, a situação foi provocada por conta da erosão que se formou em função das chuvas e da retirada da vegetação pelos moradores que ocuparam a área após a construção do hospital. Com isso, a rede de drenagem que existia no local foi comprometida e a água está sendo despejada diretamente no solo.

A Susam informa que já realizou o serviço de manutenção da rede de esgoto das unidades, com desentupimento e substituição de tubos danificados, além da limpeza das caixas de inspeção. Porém, um diagnóstico apontou que a solução definitiva está na construção de um novo sistema de tratamento de água servida para a unidade, uma vez  que a existente é antiga e não funciona mais, além do conserto da rede de drenagem da área.

Por fim, a Susam destacou que o setor de engenharia da Susam já está providenciado o projeto da nova estação.  Já a rede de drenagem, onde a água tratada será despejada, é de responsabilidade da Prefeitura de Manaus.

Publicidade
Publicidade