Publicidade
Manaus
BURACOS

Moradores relatam prejuízos causados por buracos em ruas do conjunto Vale do Sinai

As ruas da comunidade estão uma buraqueira só e os comerciantes reclamam que as condições das vias têm causado prejuízos 02/05/2017 às 10:18
Show 1221996
(Foto: Gilson Mello)
Rita Ferreira Manaus (AM)

Caminhar na lama, não poder passar com o carro e desviar rotas de ônibus são apenas alguns dos transtornos pelos quais têm passado os moradores do conjunto Vale do Sinai, no bairro Cidade Nova, na Zona Norte de Manaus. As ruas da comunidade estão uma buraqueira só e os comerciantes reclamam que as condições das vias têm causado prejuízos.

Uma das ruas mais caóticas é a 21, onde os moradores colocaram uma geladeira em frente ao buraco, tanto para sinalizar quanto para protestar contra a demora da Prefeitura para ir ao local solucionar o problema.

De acordo com os moradores, a cratera se abriu depois que equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) fizeram obras nas proximidades e despejaram uma carrada de brita no local onde está o buraco, com a desculpa de que depois iriam retirar.

Como a equipe nunca voltou, alguns moradores retiraram a brita e o buraco apareceu. Com a passagem de carros e de uma linha de ônibus que começou a operar na via, a cratera ficou mais profunda e atualmente impede a passagem dos veículos.

O comerciante Alexandre Santos, 39, relatou que na panificadora da qual ele é proprietário, situada na rua 21, as vendas caíram cerca de 30% no último mês. Ele atribui isso ao pouco movimento dos clientes que moram na parte mais baixa da via, depois da cratera.

“Muitas pessoas que vinham comprar aqui são moradores da parte de lá da rua. Em frente ao buraco também tinha uma parada de ônibus e vinha muita gente comprar um pãozinho, um biscoito e voltava para esperar pelo ônibus”, contou.

Mudanças

Na rua Tambaú, antiga 17, os moradores também necessitam da atenção do poder público. Uma cratera no meio da rua impede a circulação de veículos e, segundo os moradores, provocou até a mudança da rota da linha 056, que antigamente passava no local.

De acordo com a artesã Sandra Bacelar, 48, o buraco existe há bastante tempo e iniciou por conta de tubulações da concessionária de água. A cratera já foi consertada uma vez, em dezembro, mas como a medida era paliativa, o problema retornou. “O problema na realidade é que a Manaus Ambiental faz um serviço mal feito e logo a rua quebra”, reclamou a moradora, que disse que nem mesmo o carro que revende gás de cozinha consegue acessar a rua.

A Seminf foi procurada pela reportagem, mas devido o feriado prolongado, não deu nenhum retorno sobre a situação.

Publicidade
Publicidade