Publicidade
Manaus
Manaus

Moradores sofrem com a constante superpopulação de ratos na capital amazonense

Comunidades inteiras sofrem sem os esgostos e com risco da leptospirose 24/05/2015 às 11:12
Show 1
Francisco Almeida, 70, sofre com a superpopulação de ratos no Jorge Teixeira
Luana Carvalho Manaus (AM)

Não é possível estimar a população de ratos que habitam Manaus, mas é certo que todo mundo já sofreu com a visita indesejada do roedor. Eles estão por todas as zonas da cidade, mas a incidência é ainda maior na parte do Centro, principalmente na área da Manaus Moderna, de acordo com o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Bernardino Albuquerque.

No último domingo, um estudante de 15 anos morreu com suspeita de leptospirose ou dengue hemorrágica. Ele mora no bairro Jorge Teixeira 4, onde a comunidade sofre com a superpopulação de ratos. Na avenida Brigadeiro Hilário Gurjão, no mesmo bairro, tem “mais rato do que gente”, contam os moradores da área.

“À noite não é possível nem andar direito de tantos ratos. Minha vida é limpar os esgotos e bueiros que entopem por causa do lixo. Se eu não limpar, aí que os ratos saem e invadem nossas casas. E o pior é que eles são inteligentes, não morrem com o veneno que colocamos”, conta o aposentado Francisco Almeida, de 70 anos.

Na casa dele, todos os ralos são vedados e ele procura fazer o acondicionamento correto do lixo. Mas nem assim escapa dos “detestáveis” roedores.

Bairros

Engana-se quem pensa que os roedores limitam-se às periferias da cidade. No bairro Parque 10, Zona Centro-Sul, a empresária Nazaré Sarmento, 41, é obrigada a conviver há pelo menos 20 anos com os ratos. “Não há nada que a gente faça que reduza.O bairro é empestado de ratos. Já dedetizei minha casa várias vezes, mas não tem jeito”. 

No ano passado, os bairros com maior incidência de leptospirose foram: Cidade Nova, na Zona Norte, Flores, na Zona Centro-Sul, Redenção e Alvorada, ambos na Zona Oeste. Em 2015 foram registrados casos nos bairros Santa Etelvina, Cidade de Deus, e Nova Cidade, todos na Zona Norte.

Na Zona Leste foram registrados casos no Nova Vitória e Coroado. Na Zona Sul houve registros no Japiim e Santa Luzia e Centro. A prevenção é possível por meio de uma série de medidas chamadas ‘antirratização’.

O acondionamento correto do lixo, evitar entulhos no quintal e manter os alimentos bem armazenados também são meios de evitar os ratos nas residências. É preciso ter cuidado e evitar contato com os roedores, principalmente neste período do ano, quando os riscos aumentam em função da cheia dos rios no Amazonas.



Publicidade
Publicidade