Domingo, 26 de Maio de 2019
LEGADO

Morre aos 80 anos o professor emérito da Ufam e psicólogo Waldir Costa

Professor trabalhou no projeto "A CRÍTICA na Escola', que incentivava alunos a desenvolverem a leitura por meio do jornal



waldir_423BC8A2-0BE5-46BE-82F6-38587BB028D6.jpg
Foto: Divulgação
04/05/2019 às 18:55

“Minha vocação é de serviço”, dizia o professor Waldir dos Santos Costa, falecido neste sábado (4), aos 80 anos. A frase foi eternizada ao receber o título de professor emérito da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em março de 2014, o título máximo da docência. Amigos e familiares são unânimes em afirmar que essa é melhor síntese do legado profissional, acadêmico e familiar do professor.

“Meu pai cuidava tanto das outras pessoas que até esquecia de si mesmo”, lembra a filha mais nova de Waldir, Natália Costa, 30. “Ele foi o nosso mestre de vida. Como pai, foi muito presente, parceiro, guerreiro, um altruísta nato. Ele nasceu para servir e cumpriu essa vocação até o fim”.

Antes de ingressar como professor na Ufam, na antiga Faculdade de Filosofia e Letras, em 1973, teve formação humanística salesiana e formou-se em Psicologia pela Universidade Católica de Pernambuco, em 1971.

Como pedagogo e psicólogo, Waldir exerceu as duas profissões com paixão e generosidade ao longo da vida. E, como lembra colegas mais próximos, exercia uma liderança amorosa em qualquer projeto que se envolvia.

A psicóloga Selma Perdomo, pesquisadora da história da psicologia no Amazonas, destaca que o professor Waldir dos Santos fez valer o seu pioneirismo profissional na região Norte ao ter lutado durante muitos anos pela criação do curso de psicologia da Ufam para, dessa forma, consolidar o ofício como ciência e profissão.

“Além de ter sido presidente da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem-AM),na década de 1970, foi o primeiro psicólogo, criador e instalador do serviço de psicologia do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), também em 1973, além de ter atuado em diversas instituições de ensino”, conta Perdomo.

O presidente do Conselho Regional de Psicologia da 20ª Região, Gibson Alves dos Santos, recorda que o professor Waldir era conhecido como ‘’doutor dos doutores’’ por ter sido o primeiro coordenador do curso de psicologia e, no cargo, ter viabilizado que muitos professores saíssem do Amazonas para cursar um doutorado em outro estado.

“Ele é o ‘pontapé inicial’ da profissão de psicólogo na região. Ele nasceu no Amazonas, foi estudar fora e retornou para se dedicar à profissão na sua terra. Todos nós temos o Waldir como o ‘pai da psicologia’ no Estado porque, desde sempre, ele lutou para formar profissionais, e conseguiu. Foi um pai”, disse.

O professor Waldir dos Santos trabalhou em muitos projetos sociais no Amazonas. Alguns criados e coordenados por ele durante anos, como o ''A CRÍTICA na Escola'', que incentivava alunos das escolas públicas a desenvolverem o hábito da leitura em sala de aula por meio das notícias publicadas no jornal impresso.

Cardíaco, o professor teve insuficiência respiratória e faleceu neste sábado, aos 80 anos. Ele deixa a esposa, Louse Marilene, cinco filhos, seis netos e um bisneto.

News guilherme 1674 2977771b 6b49 41af 859a ef3c3b62eae8
Repórter do caderno de Cidades - Jornal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.