Publicidade
Manaus
HOMENAGEM

Morre cão da raça labrador que trabalhava há 9 anos com a Polícia Militar

O sub-comandante do canil, tenente Paulo Sérgio Cordeiro, contou que o cão homenageado, atuou em boa parte das missões especiais que ocorreram nos últimos anos no Amazonas 09/01/2017 às 12:53 - Atualizado em 09/01/2017 às 14:05
Isabelle Valois Manaus (AM)

As honras militares foram prestadas na manhã desta segunda-feira (9), para o cão Horus do Comandando de Policiamento da Polícia Militar do Amazonas que morreu durante as primeiras horas de hoje. Horus era o cão que trabalhava diretamente em busca de cadáver e de pessoas perdidas em selva, sendo o segundo a exercer esse tipo de atividade, dando continuidade às atividades do próprio pai Raio, também já falecido.

Da raça labrador, Horus estava com 9 anos e desde os 8 meses fazia parte da família do comando do canil. Conforme o veterinário do comando, tenente Carlos Alberto Viana de Andrade Júnior, o Horus vinha apresentando doenças destinada a idade, ou melhor, devido à velhice. "Estávamos fazendo o possível para dar a Horus uma boa velhice. Mas, ultimamente ele vinha apresentando complicações na saúde. Quando foi na manhã de hoje, ele teve uma parada cardiorrespiratória e não resistiu", informou o veterinário.

O sub-comandante do canil, tenente Paulo Sérgio Cordeiro, contou que o cão homenageado, atuou em boa parte das missões especiais que ocorreram nos últimos anos no Amazonas. Entre essas missões, Cordeiro destacou a participação do Horus e responsável por encontrar os corpos dos desaparecidos em Humaitá. O cão passou 60 dias na busca. Ele também foi o responsável por encontrar o corpo de uma senhora que estava desaparecida no Nova Vitória, Zona Leste, como também do corpo de um senhor que estava há três anos desaparecido e o mesmo se encontrava enterrado no ramal da usina.

Horus também foi o cão que encontrou o crânio humano na comunidade Leão de Judá. O corpo tinha sido encontrado antes, porém a cabeça se encontrava desaparecida. O mesmo cão foi responsável por fazer diversas buscas de pessoas perdidas na mata. Uma das últimas missões de Horus foi à busca do corpo do delegado desaparecido em Coari.

"Horus sempre foi primordial nas missões do comando. Ele foi responsável na conclusão de muitos casos que todos não acreditavam que haveria solução. Nos trouxe muita alegria e amparo para as família de desaparecidos que viviam angustiados. Sem dúvida, Horus serviu com exemplo a sociedade amazonense”, disse Cordeiro.

O cão homenageado foi enterrado pelo parceiro nas missões o soldado Cleber Ribeiro Belém. Durante a solenidade, os policiais dedicaram um momento de oração e agradecimento ao Horus e por fim encerram com um minuto de silêncio. Para dar continuidade as atividades de Horus, o comando conta com mais três cães, dois da raça rastreador brasileiro (Cely e Ranso) e um amerciano (Pandora).

Horus foi enterrado no próprio comando, localizado em Petrópolis e nos próximos dias o local onde o cão foi enterrado deve receber uma lápide fúnebre para sempre ser lembrado por todos no comando.

Publicidade
Publicidade