Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Manaus

Morre segundo operário em obras na Arena da Amazônia

O operário que trabalhava pela madrugada, realizando a cobertura do estádio, sofreu uma queda e foi encaminhado ao Hospital 28 de Agosto neste sábado (14), mas não resistiu


14/12/2013 às 17:02

O cearense Marcleudo de Melo Ferreira, 22 anos, que trabalhava pela madrugada, realizando a cobertura da Arena da Amazônia morreu após sofrer uma queda de uma altura de aproximadamente 35 metros. Ele foi levado ao Hospital Pronto-Socorro 28 de Agosto ainda com vida, mas não resistiu e morreu na manhã deste sábado (14).  

Este é o segunda morte registrada de operário que trabalha nas obras da Arena da Amazônia, prevista para ser inaugurada em janeiro. O estádio vai abrigar os jogos da Copa do Mundo Fifa 2014.

De acordo com o presidente eleito do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sindacomec), Cícero Custódio, a Arena da Amazônia já registrou mais 90 acidentes durante sua evolução e a maioria dos casos ocorrem pela pressa em alcançar o prazo de entrega.

“Essa é a Arena mais cara do Brasil e os funcionários não são respeitados. Falta gente para trabalhar e os operários têm que se desdobrar e trabalhar na correria para conseguir entregar o estádio no prazo e essa pressa resulta em acidentes”, alertou.

Para Custódio o fato de ser uma construção federal deveria ter uma fiscalização mais intensa do Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Trabalho (MPT).

"O sindicato não permite que os operários da construção civil trabalhem à noite em construções de risco que envolvem altura. À noite a visibilidade é prejudicada, não é justo que coloquemos a vida de uma pessoa em perigo em troca de um prazo, como aconteceu mais uma vez nessa madrugada”, desabafou.

Atividades paralisadas

A Assessoria de Comunicação da construtora Andrade Gutierrez, responsável pelas obras na Arena, informou por meio de nota que uma investigação interna está sendo feita para apurar as causas do acidente e que as medidas legais estão sendo tomadas em conjunto com os órgãos competentes.

publicidade

A construtora informou ainda que lamenta o ocorrido, está prestando total assistência à família do operário e que, em respeito à memória do mesmo, os trabalhos deste sábado foram interrompidos.

UGP-Copa quer relatório

O coordenador da UGP-Copa, Miguel Capobiango, informou que já solicitou da empresa um relatório sobre as causas do acidente e somente após a análise do documento ele poderá dizer que medidas serão tomadas.

Capobiango disse ainda que a decisão de paralisar totalmente as atividades neste sábado (14) foi acertada e que a retomada das atividades nos próximos dias - que poderá ser parcial ou total - fica a critério da construtora.

Segundo o coordenador, até segunda-feira (16) ele espera já estar com os laudos e relatórios em mãos para analisar as causas do acidente e as circunstâncias em que o jovem operário morreu.

Outra morte registrada

Em março deste ano o operário Raimundo Nonato Lima da Costa, 49, morreu enquanto trabalhava nas obras da Arena da Amazônia, localizada na Zona Centro-Oeste de Manaus.

De acordo com informações do Instituto Médico Legal (IML), o trabalhador teve morte instantânea causada por traumatismo craniano ao cair de uma altura de 5 metros.

No momento do acidente de trabalho, o homem se deslocava entre colunas de sustentação da obra que receberá jogos da Copa do Mundo 2014. 

publicidade
publicidade
Câmara Municipal deve criar comissão para defender Zona Franca de Manaus
Motoristas do Amazonas vão poder parcelar IPVA atrasado em até 12 vezes
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.