Publicidade
Manaus
Manaus

Mortes de mãe, filha e tio são elucidadas em menos de 24 horas

A primeira vítima foi a prima de Jimmy, Gabriela Belota, morta no fim da tarde. Todas as vítimas morreram em horários diferentes. A segunda foi Gracilene e o último o pai, Roberval Brito. 23/01/2013 às 12:27
Show 1
Rodrigo Moraes, companheiro de Jimmy, saiu do condomínio no carro de Gabriela Belota depois do crime
acrítica.com Manaus, AM

Menos de 24 horas após um triplo homicídio que chocou moradores de Manaus, o crime foi elucidado em um trabalho em conjunto entre a Polícia Civil, a Secretária de Segurança Pública (SSP) e a Secretaria Adjunta de Inteligência (Seaai).

De acordo com o delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Divanilson Cavalcanti, os policiais estavam no apartamento realizando a perícia quando souberam que Jimmy (filho de uma das vítimas e acusado de cometer o crime) estava em outro imóvel no mesmo prédio onde Gabriela e Gracilene foram mortas, no bairro da Raiz.

“Soubemos que o Jimmy estava em um dos apartamentos e que estava passando mal. Logo depois o companheiro dele, identificado como Rodrigo Moraes chegou ao local e notamos marcas no seu corpo, como arranhões. Pedimos o exame de corpo de delito e também coleta de material genético embaixo das unhas da primeira vítima’’, relatou.


Cronologia do crime

A primeira vítima foi a prima de Jimmy, Gabriela Belota, morta no fim da tarde. Todas as vítimas morreram em horários diferentes. A segunda foi Gracilene e o último o pai do acusado, Roberval Brito.

O delegado afirmou em entrevista a uma rádio local que os indícios apontam Jimmy Robert como autor do crime. O carro usado por ele, a roupa e imagens de circuito interno serão usados como provas da acusação.

O carro de Gabriela foi encontrado na avenida Sete de Setembro, no Centro de Manaus, após depoimento de Rodrigo, que dirigiu o carro da mesma até o local. Uma roupa usada por Rhuan no dia do crime, com manchas de sangue, será periciada pelo laboratório de genética forense. Também há imagens do circuito interno de vigilância do prédio que flagraram a entrada e a saída dos suspeitos e depoimentos das testemunhas e dos suspeitos.

Jimmy Robert, Rodrigo Moraes e um terceiro homem, identificado como Rhuan Bruno, são acusados de participarem do crime, supostamente motivados por uma briga pela herança da família. Cavalcanti disse que ainda nesta quarta-feira os policiais retornarão aos locais das mortes e que estão à procura da arma utilizada para cortar a garganta das vítimas, possivelmente um estilete.

Publicidade
Publicidade