Publicidade
Manaus
alerta

Mortes violentas de jovens no Amazonas mais que dobram em dez anos, diz IBGE

Levantamento do IBGE aponta crescimento de 171,4% nas mortes violentas de mulheres entre 15 e 24 anos no período entre 2005 e 2015 24/11/2016 às 16:59
Show img0017347138
Em 2015, foram 56 mortes violentas de mulheres e 402 de homens na faixa entre 15 e 24 anos (Foto: Arquivo AC)
acritica.com* Manaus (AM)

A pesquisa Estatísticas do Registro Civil 2015 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que os óbitos de jovens entre 15 e 24 anos por causas violentas (acidentes de trânsito, afogamentos, suicídios, homicídios, quedas acidentais) tiveram alta expressiva no Amazonas. No ano de 2015, foram registrados 56 óbitos por causas violentas de mulheres e 402 de homens.

Em 10 anos, o estado do Amazonas registrou aumento de 171,4% nos óbitos violentos de mulheres e de 128,7% entre homens. Já para o município de Manaus, foi registrado aumento de 113% de óbitos violentos de mulheres e de 99% entre os homens. Na comparação com 2014, o estado registrou aumento foi de 100% nos óbitos violentos de mulheres e de 52,27% entre homens. Já para o município de Manaus, foi registrado aumento de 113% de óbitos violentos de mulheres e de 80,54% entre os homens. E para a Região Metropolitana de Manaus, o aumento foi de 116,7% para óbitos violentos de mulheres e 74,9%, para homens.

Fonte: IBGE

Nascimentos

O estado do Amazonas registrou total de 73.352 nascidos vivos no estado do Amazonas no ano de 2015. Isso representou uma queda de 1,63% em relação ao ano anterior, ou seja, 1.217 nascimentos a menos. Em Manaus, a redução do número de nascidos vivos foi de 0,8%, passando de 41.036 em 2014 para 40.685 em 2015 o que representou 351 nascimentos a menos. Dentre os municípios amazonenses, Tabatinga foi aquele que teve a maior queda proporcional de nascidos vivos caindo de 1.454 em 2014 para 837 em 2015, representando -42,4%. Outros municípios que se destacaram com redução de nascidos foram: Boa Vista do Ramos (-39%), Autazes (-21%) e Urucurituba (-20%). Dentre os que registraram aumento percentual significativo estão: São Sebastião do Uatumã (41%), Novo Aripuanã (23%), e Amaturá (21%).

O número de registros tardios no estado do Amazonas ainda permanece alto. Em 2015 foram registrados 85.818 nascidos vivos, destes 73.321 nasceram naquele ano e 12.497 haviam nascido em anos anteriores, representando um percentual de 14,5% de tardios. Considerando, apenas os nascidos nos últimos 3 anos, o percentual reduz para 7,8%, ou seja, apenas 6.681 registros para o universo de 85.818 registros.

Publicidade
Publicidade