Publicidade
Manaus
INVESTIGAÇÃO

Motorista da Uber assassinado já recebia ameaças antes de ‘confusão’ em delegacia

O delegado Orlando Amaral, da Delegacia de Homicídios e responsável pela investigação, afirmou que a esposa de Olney Freitas da Silva, 32, revelou a informação. Ele foi encontrado morto a facadas na manhã de terça (18) 20/09/2018 às 19:24 - Atualizado em 20/09/2018 às 19:27
Show uber 123 3be06e4b 7644 47bd b648 7589c65f8da0
Olney Freitas da Silva, 32. Foto: Divulgação
Fábio Oliveira Manaus (AM)

O motorista de Uber Olney Freitas da Silva, 32, já recebia ameaças de morte mesmo antes da confusão no 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP), quando foi detido junto com homens armados com uma pistola roubada da Polícia Militar. Depois de ser liberado por não fazer parte do grupo criminoso, ele registrou um boletim de ocorrência por tortura contra militares da 15ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) na segunda-feira (17) e apareceu morto a facadas na manhã de terça (18).

O delegado Orlando Amaral, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e responsável pela investigação, afirmou que a esposa de Olney revelou a informação. “A companheira dele disse que já recebia ameaças antes desse episódio, mas não soube dizer do que se tratava, ainda estamos com as equipes na rua fazendo o trabalho investigativo”, explicou. Antes de ser encontrado morto, Olney saiu de casa para ir ao banco e posteriormente à Corregedoria.

“Eu ainda não verifiquei se ele chegou a ir realmente na Corregedoria, ainda não temos uma linha certa de investigação, mas é fato que já recebia ameaças, segundo a esposa dele”, confirmou o delegado Orlando Amaral, titular da DEHS.

Publicidade
Publicidade