Publicidade
Manaus
EMOÇÃO

Motorista de aplicativo reencontra policial que o salvou de sequestro e agradece

O vídeo que mostra Saulo Morza sendo retirado do porta-malas após quase três horas nas mãos de bandidos viralizou na Internet 19/01/2018 às 07:11
Show geraldo 123
A emoção bateu forte ontem à tarde no reencontro dos personagens que protagonizaram uma cena inesquecível em Manaus. Foto: Jander Robson
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Três dias depois de ficar 2h30 dentro do porta-malas do próprio carro, o professor da rede estadual Saulo Morza, 43, relatou os momentos de terror que passou na última terça-feira (16). Ele contou que só rezou e pediu para que Deus o salvasse das mãos de quatro criminosos especializados em assaltar anunciantes de OLX. Ontem (18), ele foi ao 23º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e agradeceu pessoalmente aos três policiais que o resgataram, principalmente ao investigador Geraldo Filho. “Esse policial é humano, tem polícia no sangue”, disse o professor.

À reportagem, Saulo Morza revelou que era a sexta corrida do dia e que os criminosos ao entrarem no carro já anunciaram o assalto. “Eles me colocaram no banco de trás, mandaram eu deitar e depois de rodarem, foram a uma rua deserta e me colocaram no porta-malas. Eu só rezava para acabar logo, sou evangélico e tudo o que eu pedia para Deus era que algum policial visse o carro ou ficasse sabendo do caso, tanto que depois de 2h30, eles me socorreram”, relatou. O professor disse ainda que durante o resgate, houve troca de tiros e dois tiros acertaram o carro dele, sem ferir ninguém.

O investigador Geraldo Filho, do 23º DIP, contou que o grupo é liderado pelo detento José Wilkson Cunha da Silva, o “Big Loiro”, que de dentro da cadeia orientava os comparsas.

“Já estávamos monitorando o grupo. Sabíamos que eles tinham sequestrado o motorista e que pretendiam fazer assaltos em residências. O ‘Big Loiro’ procurava vítimas no OLX e marcava encontro com elas, então mandava o seu grupo até o endereço concretizar o roubo. Fico muito feliz em salvar junto com meus colegas policiais esse professor. Ele é guerreiro, ficou tranquilo durante o sequestro, mas quando nos viu se emocionou e eu também. É gratificante poder solucionar casos como esse”, disse o policial civil.

“Esse policial é humano, ele tem polícia no sangue. Quando eles chegaram, eu percebi que estavam sob o controle da situação e quando abriram o porta-malas, fiquei muito feliz, pois havia sobrevivido a todo aquele terror”, finalizou o professor.

Polícia nos pés da quadrilha

Segundo o investigador Geraldo Filho, o grupo escapou de ser interceptado em três bairros. “Estávamos na cola deles, primeiro fomos à Compensa, quando o sequestraram, mas eles fugiram e depois tentaram ir ao conjunto Santos Dummont para roubar uma vítima do OLX, mas não conseguiram. Então seguiram para o Nova Cidade, mas também não deu certo e, por fim, na Cidade Nova, onde iriam roubar uma moto de um rapaz e aí conseguimos fazer a interceptação”, explicou o policial. O grupo foi identificado como Hudson Araújo Rego, 24, Samila Monique Castro, 25, e dois adolescentes de 17 anos. Eles foram encaminhados para uma audiência de custódia, no São Francisco.

Bico para criar os filhos

O professor revelou ainda que está afastado da função por licença médica e que atualmente fazia corridas em aplicativos como bico. Saulo mora em Iranduba e traz todos os dias os três filhos a Manaus para estudar.

“Eu levo meus dois filhos pequenos para a escola no São Jorge e minha filha de 18 anos para a faculdade. Então nesse tempo fico pegando corridas para arrecadar dinheiro para abastecer e voltar para Iranduba. Faço isso todos os dias”, revelou.

Publicidade
Publicidade