Publicidade
Manaus
DEPOIMENTO

Motorista de BMW que matou sargento PM atropelado é indiciado por homicídio culposo

Em depoimento, o empresário Clóvis de Oliveira Maia Filho afirmou que o policial militar Antônio Sérgio Ramos invadiu a contramão 15/02/2018 às 14:07 - Atualizado em 15/02/2018 às 14:18
Show content acidente
Foto: Arquivo A Crítica
Fábio Oliveira Manaus (AM)

O motorista da BMW que atropelou e matou o sargento da Polícia Militar Antônio Sérgio Ramos, de 49 anos, em Manaus – o empresário Clóvis de Oliveira Maia Filho foi indiciado por homicídio culposo, sem intenção de matar. A informação é do delegado Luís Humberto, titular Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (Deat).

Hoje, quinta-feira (15), o motorista da BMW se apresentou e prestou depoimento à Polícia Civil, na sede da Deat. Ele afirmou que o sargento da PM, que dirigia uma motocicleta, invadiu a contramão da avenida Santos Dummont, no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus, e que por isso não conseguiu evitar a colisão. Segundo o delegado, Clóvis afirmou que em nenhum momento teve a intenção de atingir o PM.

O empresário contou ainda que ficou desesperado com a situação e que ligou para um funcionário da empresa dele. “Ele conta que viu o homem no chão e ligou para um funcionário ir buscá-lo, que mandou o mesmo ligar para o Samu e depois saiu do local por medo”, explicou o delegado Luís Humberto.

A vítima fatal, o PM Antônio Sérgio, morreu na quinta-feira passada (8) após cair da motocicleta dele e quebrar o pescoço em via pública durante colisão com a BMW, de cor branca e placas PHY-5250. O empresário Clóvis fugiu do local e não prestou socorro à vítima. Corneteiro da PM, o sargento morreu quando voltava para casa após tocar na marcha fúnebre durante o enterro de outro policial.

Publicidade
Publicidade