Publicidade
Manaus
ACIDENTE

Motorista de caminhão que matou menina de 1 ano é indiciado por homicídio culposo

Delegado Luiz Humberto Monteiro informou que o motorista não viu o momento em que a menina atravessou a pista de barro para ir à casa da frente 18/05/2018 às 19:55
Show delegado
Delegado Luiz Humberto Monteiro, titular da Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (DEAT). Foto: Jander Robson
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Um motorista de frete, de 30 anos, foi indiciado, na sexta-feira (18), por homicídio culposo no trânsito após, com seu caminhão, passar acidentalmente por cima da cabeça de uma criança de apenas 1 ano e 4 meses. A fatalidade ocorreu na tarde de quinta-feira, na rua P, comunidade Santa Inês, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste. A informação é do delegado Luiz Humberto Monteiro, titular da Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (DEAT).

De acordo com ele, o motorista alegou que não viu quando a menina passou por trás do caminhão, que é do tipo caçamba. Segundo Monteiro, o local onde ocorreu o acidente é uma comunidade carente, com vias de barro. “O motorista foi entregar um material de construção, na saída, ele foi manobrar para ir embora e acabou acontecendo isso. Ele alega que não viu a criança e que só depois ouviu os gritos das pessoas pedindo pra ele parar”, explicou, acrescentando que o motorista ficou muito abalado com o ocorrido.

A menina de 1 ano e 4 meses atravessou a pista de barro para ir à casa da frente, atrás da avó materna. Conforme Monteiro, a avó da criança relatou em depoimento que a mãe da bebê dava banho nela em uma bacia e que, em questão de segundos, a genitora entrou para pegar uma toalha e a criança atravessou a pista, ocorrendo em seguida a fatalidade. Segundo o delegado, o pneu esmagou o crânio da criança, ocasionando o óbito no local.

“A avó relatou que havia ido à casa da vizinha que fica na frente e que a mãe da criança ficou dando banho na bebê em uma bacia. Então, segundo a avó, a mãe falou para a criança ficar no local enquanto iria pegar uma toalha, mas isso não aconteceu e acabou nessa fatalidade. A criança saiu e foi atrás da avó, na casa da frente, não se pode deixar criança só”, disse. O motorista vai responder o processo em liberdade.

Publicidade
Publicidade