Domingo, 14 de Julho de 2019
Manaus

Motoristas apontam intervenções que não deram certo no trânsito

A CRÍTICA foi às ruas ouvir motoristas que fizeram suas colocações quanto ao trânsito da cidade e afirmaram desconfiar do que está por vir



1.jpg Ligação do Boulevard Álvaro Maia com a avenida Brasil registra engarrafamentos; motoristas acreditam que deveria haver uma atenção maior para o local, já que alça viária já não dá conta do recado
29/07/2013 às 08:38

Nos últimos anos, o trânsito de Manaus tem sido um dos principais problemas enfrentados pelos governantes. Dentre as soluções oferecidas, algumas não conseguiram surtir efeito positivo. Para uma parcela de condutores, isso acabou deixando o trânsito mais confuso o que, em vez de ajudar, prejudicou o fluxo de veículos.

Enquanto alguns motoristas afirmam que são necessárias novas obras nas vias, outros dizem que “eliminariam erros” cometidos na engenharia do trânsito da capital.

O congestionamento que se forma nas vias que dão acesso ao Complexo Viário Gilberto Mestrinho (rotatória do Coroado) desagrada grande parte dos motoristas que precisam passar por ele, principalmente nos horários de pico. A obra custou R$ 58 milhões.

Na opinião do motorista profissional João Pedro Guimarães, 41, a obra foi pensada apenas para os horários em que o fluxo de veículos não é intenso. “Até hoje não dá para acreditar que ele foi projetado para aliviar o congestionamento. E pior que a obra, que não resolveu muita coisa, é ter agentes de trânsito na rotatória em horários de pico”, reclamou.

O analista de sistemas, Mauro Gonçalves, 35, também reclama. “O congestionamento que se forma na avenida André Araújo faz com que o motorista leve pelo menos 30 minutos pra conseguir chegar ao complexo viário. Se ‘eliminasse’ isso, acho que ajudaria bastante”.

Para o autônomo Alexandre de Almeida, 36, faltou planejamento para facilitar o acesso de motoristas ao Centro, pela avenida Constantino Nery, quando se está na avenida São Jorge, bairro de mesmo nome, Zona Oeste.

Quem segue pela via em direção ao Centro, não pode dobrar à direita quando o semáforo está aberto para os carros que estão na avenida Constantino Nery, também em direção ao Centro. Na opinião de Alexandre, o congestionamento que se forma na avenida São Jorge em direção à área central da cidade, poderia ser evitado com o planejamento de uma direita livre.

“Situações de tráfego semelhantes ocorrem em outras vias e possuem direita livre. E evitam transtornos para muitos motoristas. É o que vemos hoje na avenida Coronel Teixeira, próximo à Escola Municipal Carlos Gomes”, disse.

“Com a direita livre para os motoristas que vão seguir para a Compensa, se evita congestionamento desnecessário na via e diminui a retenção de carros”, justificou a bancária Pâmela de Araújo, 32, para a necessidade de direita livre em situações como a citada pelo autônomo Alexandre de Almeida.

Desconfiança de motoristas
Insatisfeitos com algumas intervenções viárias em Manaus que não aliviaram os congestionamentos, motoritas que passam pela avenida Darcy Vargas, Zona Centro-Sul, estão receosos com a construção de um retorno na via A intervenção viária também compreende o alargamento da Darcy Vargas para dar mais fluidez ao trânsito da área.

A obra havia sido anunciada pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) para diminuir o volume de carros na rotatória da praça Humberto Calderaro (Bola das Letras). “Considerando outras obras apresentadas com o mesmo objetivo e que acabaram ‘frustradas’, não tem como não ficar com ‘o pé atrás’ com mais uma obra dessas”, disse o gerente comercial Henrique Gomes, 28.

Sugestão
Na avenida Constantino Nery, Zona Centro-Sul, outra situação que desagrada uma parcela de motoristas que trafega por baixo da alça viária que liga a avenida Boulevard Álvaro Maia à avenida Brasil, é o semáforo. Na opinião de motoristas ouvidos por A CRÍTICA, os transtornos ocorrem diariamente nos horários de pico e precisam de intervenções bem planejadas.

“É que a área merecia uma maior atenção, com a possibilidade de um complexo viário e não somente a alça viária que liga o Boulevard com a Compensa”, sugeriu o professor Adalberto Rodrigues, 44.

Alargamento
O Manaustrans chegou a anunciar ainda um alargamento da avenida Ephigênio Salles, próximo à saída da passagem de nível, com a intenção de facilitar o tráfego para os que pretendem seguir para a avenida Governador José Lindoso (das Torres).

Melhorias que ainda não foram realizadas
No mês de abril, o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) também anunciou que previa um projeto de construção de dois retornos no Complexo Viário Gilberto Mestrinho para diminuir o fluxo de veículos oriundos das avenidas Ephigênio Salles e Rodrigo Otávio na rotatória.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.