Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019
INSEGURANÇA

Motoristas de app sofrem 4 assaltos por semana em Manaus, dizem lideranças

Só no feriado de Elevação do Amazonas à Categoria de Província, comemorado na última quinta-feira, 15 casos foram contabilizados pelas centrais locais, podendo ser um número maior



uber_2A6C7732-9F60-4003-8EE4-37222403FB55.JPG No último sábado, os motoristas de aplicativo paralisaram parte da Avenida Noel Nutels, em protesto à falta de segurança proporcionada pelas plataformas. Foto: Junio Matos
10/09/2019 às 09:12

Ser motorista de aplicativo de mobilidade em Manaus tornou-se sinônimo de perigo. Isto porque, segundo lideranças da categoria, três profissionais que atuavam nas plataformas foram mortos, entre 2017 e 2019, no exercício da função. A média é de 3 a 4 assaltos semanais, sem contar  furtos que são recorrentes. Só no feriado de Elevação do Amazonas à Categoria de Província, comemorado na última quinta-feira, 15 casos foram contabilizados pelas centrais locais, podendo ser um número maior.

A solução para o problema, segundo o motorista de aplicativo João Rodrigues, 28, seria a disponibilização de um número maior de informações sobre os usuários das plataformas, que possibilitassem a identificação mais completa do condutor, deixando a categoria menos vulnerável.



“O passageiro sabe todas as nossas informações, como o nosso nome, placa do carro, profissão e tem a nossa foto (...) e nós, muitas das vezes sequer sabemos os nomes deles, pelo fato da solicitação de corrida ter sido efetivada por terceiros que é outro fator que nos coloca em risco e imploramos aos nossos usuários não façam isto, principalmente para estranhos, pois é o que nos coloca em risco”, explica o condutor.

Um exemplo da falta de segurança em decorrência da falta de informações seguras nas plataformas, foi o caso do motorista de aplicativo Higson Cavalcante Ramos, 49, encontrado morto na última sexta-feira, após ter sido vítima de um latrocínio. Dois homens foram presos e um menor apreendidos suspeitos de terem cometido o crime, que, segundo a polícia, ocorreu após os homens terem solicitado uma corrida no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte da cidade, utilizando um cadastro falso.

A reportagem de A Crítica entrou em contato com Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP), solicitando dados sobre casos de violência contra motoristas de aplicativo, mas foi informada por meio da assessoria de comunicação que os dados ainda vêm sendo levantados pela pasta.

Entretanto, no período entre 18 de janeiro de 2018 até ontem, foram noticiados pelo A Crítica um total de seis assaltos, dois sequestros e uma agressão contra motoristas de aplicativos da capital.

Mobilização

Uma mobilização para que haja a flexibilização nas negativações de corridas ou cancelamentos por parte dos motoristas de aplicativo está sendo proposta às plataformas por algumas lideranças locais.

Alexandre Matias, um dos líderes envolvidos na proposta, afirma que a medida seria fundamental para garantir a segurança dos motoristas, pois eles são punidos se não aceitarem um certo número de viagens.

“Muitas vezes o motorista teme em aceitar uma corrida por conta da periculosidade do local ou horário por exemplo”, diz o representante.

Leia Mais >>> Esposa de motorista de app morto diz que vítima era um bom pai

News wal 0488c851 da85 434c afa9 e1a895689bb3
Repórter de A Crítica
Jornalista formada em 2014 pela Uninorte e pós-graduanda em Gestão de Redes Sociais e Marketing Digital pela Fametro, começou em A Crítica como repórter de esportes em 2016. Hoje atua na editoria de política e economia, com uma enorme paixão pelo jornalismo investigativo.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.