Publicidade
Manaus
Manaus

Mototaxistas fazem manifestação em frente à Prefeitura na tentativa de estender prazo de adequação

Cerca de 300 profissionais em situação irregular procuraram o prefeito Artur Neto para tentar estender o prazo da adequação; iniciativa desagradou permissionários 24/09/2014 às 12:46
Show 1
Protesto prejudicou trânsito da Compensa na manhã desta quarta (24)
Renildo Rodrigues Manaus (AM)

Cerca de 300 mototaxistas em situação irregular fizeram uma manifestação nesta quarta-feira (24) em frente à Prefeitura de Manaus, na Compensa, Zona Oeste da capital. Eles reivindicam a prorrogação do prazo para adequação dos veículos, que se encerra no próximo dia 30 de outubro. Segundo o presidente do sindicato da categoria, Anderson Souza, o ato não tem o apoio dos profissionais já regularizados.

“Tudo isso foi discutido em audiência pública, aberta a todos, à qual esses motociclistas - já que não são permissionários do serviço - não compareceram. As exigências da profissão foram todas definidas, regulamentadas, foi dado um prazo de 180 dias (seis meses) e vários pais de família, em situação difícil, conseguiram levantar os 12 mil reais pra deixar a moto em dia. Aí chegam esses motociclistas, que não se mexeram nesse tempo todo, e pedem a prorrogação do prazo. É (uma situação) ruim com aqueles que vêm se esforçando pra atuarem dentro da lei”, afirma.

O grupo foi recebido pelo subsecretário de Governo, Ramiz Júnior, após o protesto pacífico. "A principal reivindicação é que aproximadamente 3 mil deles possam permanecer trabalhando até a abertura do novo processo de licitação. Eles afirmam que muitos trabalhadores ainda estão concluindo o curso do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e outros ainda estão tentando regularizar a documentação necessária para participar da licitação", afirmou a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), em nota. As reivindicações serão levadas ao prefeito Arthur Virgílio Neto para avaliação. 

Segundo Anderson, os permissionários pretendem organizar uma mobilização no dia 3 de novembro, pedindo a fiscalização dos veículos irregulares e a punição desse tipo de serviço fora dos padrões legais. “É preciso que se cumpram os prazos e se exija a valorização da categoria, o que inclui a adequação a normas profissionais”.

Ele ainda criticou o que chama de "mototaxistas piratas”, que pintam as motos nas cores dos veículos regularizados, driblando a fiscalização. A manifestação fechou parte da avenida Brasil na manhã de hoje, provocando retenção no trânsito.

A regularização dos mototaxistas é uma exigência antiga da categoria, que finalmente foi aprovada em outubro de 2013. Em fevereiro deste ano, a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) alertou para a baixa procura na licitação que iria escolher 3.303 permissionários.

Atualmente, segundo Anderson, há 1.679 mototaxistas regularizados em Manaus, e cerca de 6 mil atuando na ilegalidade, número que inclui aqueles à espera do título legal. A SMTU informou que irá analisar o pedido dos manifestantes.

Publicidade
Publicidade