Publicidade
Manaus
Manaus

Mototaxistas irregulares protestam por mais vagas de trabalho nas ruas de Manaus

Na busca pela regulamentação da atividade, categoria - que conta com 13 mil "piratas" - promove protesto para pressionar Câmara Municipal e Prefeitura de Manaus e estender prazo da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos para se adequarem às normas impostas 24/11/2014 às 17:36
Show 1
Cerca de 200 mototaxistas pressionam o poder executivo na tentativa de aumentar tanto o número de vagas quanto o prazo para regularização
Janaína Andrade e Vinicius Leal Manaus (AM)

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS

CONFIRA VÍDEO

Cerca de 200 mototaxistas se reuniram no fim da manhã desta segunda-feira (24) na frente a Câmara Municipal de Manaus (CMM), localizada na Zona Oeste da capital, reivindicando a prorrogação do prazo para a regularização da licença da profissão. A categoria exigiu a presença dos vereadores, negando se reunir com a presidência da Casa. Com a negativa, conduziram o "buzinaço" para a Pefeitura de Manaus, situada na avenida Brasil, bairro Compensa, também na Zona Oeste. 

“Somos pais de família, temos contas a pagar e precisamos trabalhar com dignidade”, gritaram os líderes do movimento, pelo microfone, em cima de um carro de som que conduzia a carreata. Os profissionais percorreram as principais vias do Centro da cidade, como avenida Eduardo Ribeiro, antes de seguirem para a Zona Oeste.

Um mototaxista, cujo nome não foi revelado pelos colegas, ao soltar um fogo de artifício, acabou manejando incorretamente o objeto e se feriu gravemente. Ele foi levado do local para uma unidade hospitalar. Foi após o acidente que os manifestantes decidiram seguir para a sede da Prefeitura, causando um grande congestionamento na área.

Atualmente, 1.679 mil mototaxistas estão habilitados a prestar o serviço de transporte de passageiros em Manaus, e aproximadamente de 13 mil continuam circulando nas ruas como “piratas”. Os regularizados passaram por uma licitação pública ocorrida em abril deste ano, onde foram ofertadas 3.303 vagas, mas somente 1.679 deles conseguiram atender todas as exigências da lei.


Foto: Erica Melo

Os mototaxistas permaneceram em frente a CMM por cerca de 40 minutos. Membro da coordenação dos mototaxistas, Eliana da Silva Figueiredo, de 33 anos, explicou que a categoria exige, além da prorrogação em um ano do prazo para a regularização, mais transparência de órgãos como o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) e Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

Segundo a Prefeitura de Manaus, uma nova licitação para mais vagas de mototaxista será aberta em janeiro de 2015, onde eles deverão cumprir as leis Federal nº 12.009, de julho de 2009, e a Municipal nº 1.763, de setembro de 2013.

Fiscalização

A manifestação dos mototaxistas irregulares em Manaus ocorre na data em que a Prefeitura, por meio da SMTU, prometeu intensificar a fiscalização contra os profissionais “piratas”. O superintendente da SMTU, Pedro Carvalho, afirmou que iniciaria nesta segunda (24) uma grande ação para retirar de circulação os mototaxis irregulares. As zonas Norte e Leste seriam as primeiras áreas a serem fiscalizadas.

Nesta segunda-feira, também passaria a ser obrigatório o uso de tabela de preços no serviço de mototaxi regular na cidade. De acordo com as regras, cada quilômetro rodado custará ao passageiro R$ 1, mais a bandeirada, no valor de R$ 3.

Na semana passada, foi a vez dos mototaxistas regularizados promoverem um protesto exigindo que a SMTU passe a fiscalizar as ruas e retire dos bairros os profissionais “piratas”. Por terem ganhado licitação, eles querem exclusividade no serviço.

MAIS INFORMAÇÕES EM INSTANTES

Publicidade
Publicidade