Publicidade
Manaus
MAUS CAMINHOS

Mouhamad Moustafa passa a maior parte de audiência na Justiça Federal dormindo

Médico acusado de desviar R$ 110 milhões da saúde no Amazonas acompanha depoimentos de testemunhas de acusação desde o início da manhã de hoje 27/04/2017 às 12:00 - Atualizado em 27/04/2017 às 14:29
Show whatsapp image 2017 04 27 at 12.28.00
Médico foi fotografado ao deixar a sala da audiência para ir ao banheiro (Foto: Márcio Silva)
Joana Queiroz Manaus (AM)

O réu principal da operação Maus Caminhos o médico Mouhamad Moustafa, apontado como líder da organização criminosa que desviou mais de R$ 110 milhões da Saúde do Amazonas, passou a maior parte da  primeira audiência com as testemunhas do caso cochilando. 

Na manhã desta quinta-feira, começaram a ser ouvidas as testemunhas de acusação do caso, no qual 16 pessoas são acusadas de envolvimento no esquema de desvio de recursos.

Ele chegou ao prédio da Justiça Federal escoltado por policiais do Grupamento Aéreo  (Graer) da Polícia Militar. Ao lado da cunhada dele, Priscila Marcolino Coutinho, também indiciada no caso, e cercado por advogados, o médico por  vezes abria os olhos e depois voltava a dormir.

A primeira testemunha de acusação a ser ouvida foi o delegado de Polícia Federal Alexandre Teixeira. Ele foi arrolado por ter presidido as investigações que culminaram na realização da operação. Ele foi interrogado pelo procurador da republica Alexandre Jabur, autor da denúncia, e pelos advogados de defesa dos réus.

Teixeira relatou, tendo como base as investigações do caso, que Mouhamad foi o mentor do golpe e que ia, passo a passo, comprando empresas, organizações sociais,  e recrutando pessoas capacitadas, assim como pessoas de sua confiança,  para operar nas suas ações criminosas . Estas ações teriam culminado no desvio descoberto pela Operação Maus Caminhos.

A audiência está sendo acompanhada pela imprensa e segue até o fim do dia de hoje, mas registros de imagens - em foto ou em vídeo - estão proibidas no local. Mouhamad foi fotografado quando deixou a sala para ir ao banheiro, devidamente escoltado. Outra audiência do caso será realizada no dia 3 de maio, no mesmo local e horário. A defesa de Mouhamad Moustafa já convocou, como suas testemunhas, ex-secretários e até o deputado estadual Josué Neto, ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE). 

Saiba mais

 O médico e empresário Mouhamad Moustafa foi preso em setembro deste ano durante a Operação Maus Caminhos, deflagrada pela Polícia Federal em Manaus e em mais quatro cidades brasileiras, com participação da Controladoria Geral da União e da Receita Federal. A operação teve o objetivo de desmantelar um esquema que desviava verbas da Saúde do Estado. Segundo a PF, os desvios de verbas ocorriam desde abril de 2014.

Mouhamad foi apontado como o líder do bando, que envolvia o Instituto Novos Caminhos (INC), de propriedade dele, e mais três empresas fornecedoras de serviços de saúde para alguns hospitais do Estado, que também eram ligadas ao médico e empresário, como a Salvare Serviços Médicos Ltda, Sociedade Integrada Médica do Amazonas Ltda (Simea), e a Total Saúde Serviços Médicos e Enfermagem Ltda.

Segundo a PF, o Instituto Novos Caminhos recebia cerca de 40% de todos os recursos do Fundo Estadual de Saúde do Amazonas e, a partir daí, ocorriam os desvios, que ultrapassam os R$ 100 milhões. O esquema sustentou uma vida de luxo e ostentação para o médico, que possuía veículos de alto padrão, imóveis, avião a jato e helicópteros.

Publicidade
Publicidade