Publicidade
Manaus
DIA DE FINADOS

Movimento mais tranquilo leva famílias aos cemitérios no fim da tarde

No Cemitério São João Batista, missa celebrada às 18h encerrou as programações religiosas pelo Dia de Finados. 02/11/2016 às 19:34 - Atualizado em 02/11/2016 às 20:19
Mayrlla Motta Manaus (AM)

Para fugir do calor, do trânsito e do maior movimento pela parte da manhã, muitas pessoas deixaram para visitar os principais cemitérios de Manaus no final da tarde deste Dia de Finados. No São João Batista e no Parque Tarumã, cerca de 55 mil compareceram já depois das 16h.

No Cemitério Parque Tarumã, foram cerca de 30 mil pessoas prestar homenagens aos entes queridos já perto do entardecer.  A maior parte dos frequentadores não pôde ir  nos dias úteis  e aproveitou o feriado para visitar e limpar os túmulos.

É o caso de Marcela Nascimento, 33. Acompanhada da mãe, que estava bastante emocionada, elas visitaram os túmulos de irmãos, avós e amigos. "Deixamos sempre para vir nessa época e como temos muitas sepulturas para visitar, preferimos vir a tarde por ser mais calmo", relatou Nascimento.  

O montador Roberto Alexandre, 34, perdeu a mãe em 2005. Para Roberto,  a data o faz relembrar o quanto a mãe foi boa a ele. "Faz onze anos que ela se foi e eu nunca deixei de vir aqui. Sinto muitas saudades", disse,  emocionado.

No Cemitério São João Batista, outras 25 mil pessoas também foram ao  local somente no final da tarde, segundo a Polícia Militar.

Ao redor do Cruzeiro, na parte central do espaço, se concentravam pelo menos 100 pessoas, acendendo velas e rezando pelos entes amados.

A aposentada Alcinda Pereira, por exemplo, foi ao cemitério para prestar homenagens aos pais. E para ela, esse ato é "uma homenagem de coração partido". "Se eu sou o que sou hoje é pouca de meu pai e minha mãe. Eles me deram a melhor educação. Sinto muitas saudades", relatou Alcinda à reportagem.

Missa

Do lado de fora do Cemitério, outras 300 pessoas se concentraram para assistir à Missa Campal, que iniciou por volta das 18h.

O bispo auxiliar Dom José Albuquerque, que dirigiu a missa, trouxe uma mensagem baseada na fé e esperança "de que os entes queridos estão com Eterno". 

Durante a missa ele também falou aos que estavam presentes que a data serve para nos lembrar de fazer o bem e cultivar o amor. O bispo também fez um apelo: “não nos esqueçamos de dar flores também aos vivos”.

“No cemitério podemos ver as velas acesas, e elas são para pedir que os nossos entes possam estar diante da luz de Cristo", destacou. "Fomos chamados para viver na fé. Que nossa fé nos ajude a colocar em prática o maior dos mandamentos que é amar uns aos outros", observou o bispo na pregação. .

Publicidade
Publicidade