Publicidade
Manaus
Manaus

MPE-AM instaura investigação criminal contra PMs que deixaram adolescente paraplégico

A decisão foi tomada pelo titular da 61ª Promotoria de Justiça, João Gaspar Rodrigues, foi publicada no DOM nesta quinta-feira (5) 05/03/2015 às 18:20
Show 1
Após atirarem no adolescente, policiais colocaram o garoto na viatura, em vez de acionar o Samu
Lucas Jardim Manaus (AM)

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) decidiu instaurar procedimento investigatório criminal para apurar as circunstâncias do incidente de 11 de janeiro em que um adolescente de 17 anos foi atingido por tiros disparados por policiais militares e acabou ficando paraplégico.

A decisão foi tomada pelo titular da 61ª Promotoria de Justiça, João Gaspar Rodrigues, no último dia 13 de fevereiro e foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) nesta quinta-feira (5).

Um procedimento administrativo, conduzido pela Diretoria de Justiça e Disciplina da Polícia Militar, já tinha sido aberto no âmbito da corporação, mas a decisão do promotor de Justiça pode dar início a um processo criminal.

Segundo a PM, o soldado David Lima Barroso teria efetuado o disparo que acertou a coluna do adolescente, ação que teria ocorrido na presença do sargento Sefair Castro de Souza, que comandava a operação. Sefair já responde por outros dois crimes: roubo e agressão durante abordagem policial.


Segundo a PM, os envolvidos são o soldado David Barroso, que atirou, e o comandante da operação, sargento Sefair Souza (foto)

Caso sejam denunciados pelo MPE-AM e condenados pela Justiça, a conduta dos policiais David Lima Barroso e Sefair Castro de Souza, lesão corporal de natureza grave, pode render-lhes de dois a oito anos de prisão.

Por serem agentes de segurança pública, a agressão contra o adolescente pode ser considerada inobservância de regra técnica da profissão, o que, em caso de condenação, aumenta a pena aplicada na condenação em 1/3.

Entenda o caso

Na tarde do dia 11 de janeiro deste ano, foi reportado que dois PMs da 25ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) teriam atirado em um adolescente de 17 anos no bairro Coroado 2, na Zona Leste. O adolescente ficou com a bala alojada na coluna e perdeu os movimentos das pernas.

Parte da ação dos policiais foi filmada por moradores da área e enviada à reportagem. Em um dos vídeos é possível verificar o rapaz estirado no chão pedindo socorro. Em outro momento, um dos policiais pede ajuda de um outro morador, levanta o garoto e o coloca dentro da viatura.

Para a família, os policiais omitiram socorro ao adolescente, já que nenhuma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, procedimento obrigatório nesse tipo de ocorrência.

O rapaz foi internado no Hospital de Pronto Socorro João Lúcio, na Zona Leste. A mãe da vítima, Néia de Oliveira Cruz, informou que os médicos confirmaram que o rapaz deve ficar paraplégico.

“Jogaram ele na viatura como se ele fosse um cachorro e ainda tentaram incriminá-lo. Mas eu vou abrir um processo contra esses policiais e exigir uma indenização do Estado”, concluiu ela. 

Publicidade
Publicidade