Publicidade
Manaus
VENEZUELANOS

MPF/AM apresenta parecer antropológico sobre indígenas Warao em Manaus

Em coletiva de imprensa, órgão informou que secretarias de Estado e do Município se comprometeram a garantir abrigo e alimentação urgente para 300 indígenas 29/05/2017 às 19:51
Show indios08888
(Foto: Evandro Seixas)
acritica.com Manaus

O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) apresentou, em coletiva de imprensa na tarde de hoje (29), o parecer técnico elaborado por um perito em antropologia do órgão sobre o povo indígena venezuelano Warao, que vive uma onda migratória de seu território de origem para o Brasil em busca de melhores condições de vida.

O autor do relatório, antropólogo Pedro Moutinho, explicou as principais características culturais dos Warao e a contextualização da crise enfrentada pela Venezuela, que levou à onda migratória das famílias Warao para o Brasil, tendo como principais destinos Boa Vista e Manaus. As informações e análises apresentadas no parecer estão embasadas em pesquisas documentais e bibliográficas, participação em reuniões e trabalho de campo etnográfico realizado entre março e maio de 2017, em diversos pontos da cidade.

Em três capítulos, o parecer antropológico apresenta de forma breve a etnia Warao e aspectos de sua história, cultura, organização social, dinâmicas de ocupação territorial e deslocamento para o Brasil, a partir do parecer produzido por peritos do MPF anteriormente; faz uma análise geral da situação em que se encontram os indígenas venezuelanos em Manaus até o momento; e por fim, aborda as ações de articulações do poder público e da sociedade civil nesse contexto.

Durante a coletiva, o procurador da República Fernando Merloto Soave anunciou ainda que a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejusc) informou ao MPF a conclusão ainda esta semana de reforma no prédio que destinará para o abrigamento de 300 indígenas Warao, no bairro Coroado.

De acordo com Soave, informalmente as secretarias de Assistência Social do Estado (Seas) e de Assistência Social e Direitos Humanos do Município (Semasdh) se comprometeram a realizar a contratação, até a próxima semana, para compra de mobília e alimento para suprir as necessidades dos abrigados no local.

*Com informações da assessoria.

 


 

Publicidade
Publicidade