Publicidade
Manaus
PREJUÍZO E TRANSTORNO

Mudanças de nomes de ruas causam confusão para moradores e carteiros

Taxistas dizem que chegam a perder corridas, e carteiros relatam atraso na entrega de correspondência por conta de mudanças 04/09/2016 às 12:08 - Atualizado em 04/09/2016 às 12:19
Show ruas
Mudanças no nome das ruas foi barrada na Câmara Municipal de Manaus CMM aprovou o projeto e o prefeito vetou. Quando retornou para o debate na Câmara, os próprios vereadores aprovaram o veto
Isabelle Valois Manaus (AM)

O carteiro André Antunes, 41, relata as dificuldades diárias para encontrar os endereços baseado no nome das ruas de Manaus. Há 17 anos trabalhando como entregador de correspondência, no último ano André tem se perdido nas ruas da capital com tanta mudança ocorrida com os nomes dos logradouros. A situação prejudicou não apenas os carteiros, como também os motoristas de táxi, empresa de montagem de móveis e até a população.

“Nem sempre temos tempo de acompanhar as mudanças dos nomes das ruas, e devido ao tempo de serviço, nos acostumamos e decoramos os endereço, mas ultimamente quando olho para a correspondência com um nome que nunca vi, acabo perdendo a noção de localização. Muitas das vezes as correspondências retornam para a central dos Correios, pois a mudança dos nomes das ruas acaba prejudicando no trabalho, é chato ver essa situação acontecer”, disse. 

Antunes é carteiro não motorizado, porém não são só esses carteiros que passam dificuldades para encontrar as ruas que ganharam nova nomenclatura. No caso de César Lima, 38, carteiro responsável na entrega de Sedex, a situação é bem parecida, principalmente quando precisa entregar algumas encomendas nas antigas ruas que recebiam como nome: numerais e letras do alfabeto.

“O problema é quando olhamos para a encomenda, há um endereço totalmente estranho. Essa semana passei por uma situação bem parecida. Fui realizar uma entrega na Alvorada, quando cheguei no bairro olhei o endereço e estava o nome de uma pessoa na rua. Nunca tinha visto aquela rua, pois todas as ruas do bairro sempre foram nomeadas por número, eram de 1 ao 18”, comentou Lima que trabalha como entregador há 20 anos.

Sem saber o endereço, o carteiro precisou retornar a central para procurar na Gerência de Planejamento dos Correios onde se localizada o endereço de entrega. “Esse processo demora e prejudica o trabalho dos Correios, é mais gasto e mais tempo desperdiçado”, disse.

Para os taxistas, a situação não é diferente. No caso de Nelson Ferreira, conhecido como "Duda", 47, a mudança das nomenclaturas o faz perder a corrida. “Os clientes não gostam de esperar, quando ligam, querem o carro naquele momento, porém quando alguns são de fora acabam solicitando o táxi no nome novo da rua. Até esses aplicativos de celular que facilitam também desconhecem a rua, e por causa da demora os clientes desistem e pegam outro táxi”, comentou.

Duda disse que para os taxistas e carteiros a situação é até mais fácil, pois todos os dias trabalham nas ruas e acabam se acostumando com a mudança, mas o caso se torna mais complicado para população. “Esses são os mais prejudicados com a mudança”, reforçou.

Cadastro municipal vem sendo atualizado

Conforme o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Manaus tem, oficialmente,  15.309 ruas, vias, becos, travessas e afins, com nomenclatura específica, atendendo legislações próprias, como as leis 266/94 e a 343/1996.  

O instituto disse que o último  pedidos e revisões para nomes de logradouros foi realizada pela Gerência de Mobilidade Urbana (GMU). Pela legislação as ruas não podem ser nomeadas por letras e números, caso contrário haveira uma infinidade de ruas “A” ou “10”, por exemplo. “Considerado como um uso comum logo na abertura de um loteamento, onde o proprietário usa letras ou números, mas posteriormente é feita a nomenclatura oficial”, explicou o Implurb.

O instituto informou que as mudanças foram frutos da alteração em cumprimento à lei municipal, onde o Poder Executivo iniciou a revisão e alteração de 8 mil nomes de vias, atendendo também legislação federal. “Como foi um grande trabalho e em razão dos milhares de nomes, nos últimos anos o cadastro municipal vem sendo atualizado atendendo esta lei”, disse o instituto.

A Prefeitura hoje trabalha com um cadastro único, compartilhado entre Implurb e da Secretaria Municipal de Finanças, tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef), por exemplo, e que terá integração com concessionárias e Correios. “Para tirar dúvidas sobre a nomenclatura de uma rua, há a Certidão de Endereço, expedida pelo GMU, no Implurb, cuja primeira via é gratuita”, garantiu o Implurb.

Vereador não vai desistir da ideia

As nomenclaturas das ruas causaram discussão na Câmara Municipal de Manaus (CMM), quando os vereadores aprovaram o veto da prefeitura sobre o projeto de lei nº 312/2013 do vereador Marcelo Serafim, que proíbe a mudança dos nomes dos logradouros público já denominados.  Marcelo Serafim, informou que não irá abandonar a ideia, pois considera as mudanças como um desrespeito para sociedade.

Publicidade
Publicidade