Publicidade
Manaus
EXAME ENEM

Mudanças no Enem exigem mais dedicação e 'resistência' dos estudantes

Alunos do Idaam participam hoje e na próxima segunda-feira de uma avaliação no novo formato do Enem 27/03/2017 às 05:00
Show mvi 0156.mov.00 00 09 02.quadro001  2
Alterações na aplicação das provas, que agora serão em domingos subsequentes, irá demandar mais resistência. (Foto: Divulgação)
Alik Menezes Manaus

A partir deste ano, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passa a ter algumas mudanças na aplicação das provas. Com essas modificações, além de estudarem para assuntos específicos os estudantes, têm outro desafio: resistir ao cansaço. 

Apesar das provas serem realizadas em dois domingos - antes o exame era realizado no sábado e no domingo - os estudantes terão conteúdos específicos nos dois dias. No dia 5 de novembro a prova terá questões de humanas, linguagens e redação, com cinco horas de duração. Enquanto que, no dia 12, uma semana depois, os estudantes terão que responder questões de matemática e ciências da natureza.  

É pensando nesse novo desafio dos estudantes que o Idaam realizará hoje e na próxima segunda-feira uma avaliação no novo formato do Enem. 

Segundo Ludmylla Rondon, diretora das Escolas Idaam e especialista em processos seletivos, quem olha de fora até acha que as mudanças não foram “nada de mais”, mas para os alunos, que estão passando por uma fase onde são avaliados para ingressarem no curso superior, qualquer mudança, por menor que seja, gera uma pressão. 

A educadora disse que, diferente dos anos anteriores, quando os alunos estudavam as disciplinas de forma intercalada, agora eles vão estudar horas seguidas a mesma área. Por exemplo, um dia ele estudará apenas humanas, no outro apenas matemática e assim sucessivamente, explicou. “Defendo que eles devem dividir por dia. Por exemplo, o dia de exatas e o dia de humanas, porque ele vai ter que pegar 4h30 a 5h direto de um mesmo conteúdo, dentro desse novo formato. Essa é a principal mudança que ele precisa fazer”, disse. 


Treino
Outra dica Ludmylla é que os estudantes façam simulados em casa com provas antigas do Eneem e utilizem também vestibulares das faculdades que são mais concorridas no Brasil.  “Seria interessante também que eles pegassem provas antigas e organizassem no novo formato deste ano, fazendo sequências do mesmo tema. Dessa forma eles vão conseguir treinar a resistência para o novo Enem”, disse.

A estudante do terceiro ano do ensino médio Clara Monteiro, 16, está ansiosa para participar do exame que será realizado hoje no Idaam. Segundo a jovem, a realização de simulados como esse são de extrema importância. “É importante por ser um treino de resistência física e psicológica para uma prova tão cansativa. E este ano será ainda mais se a gente não se preparar”, disse. 

Clara revelou que a principal estratégia que aprendeu com os professores  é a resolução de questões de vestibulares de anos anteriores. “Nós precisamos sempre buscar identificar os distratores de cada alternativa, para que nós estejamos condicionados a identificar quase automaticamente o que pode nos fazer errar durante a prova”, disse. 

A estudante acredita que essas estratégias podem permitir aos alunos que estão focados no Enem “saírem na frente”. “Nós vamos ter a oportunidade de ter uma noção de como será a prova deste ano”.

Publicidade
Publicidade