Publicidade
Manaus
Manaus

‘Mulher de candidato provocou o roubo’, diz ‘olheira’ do bando que matou policial militar

Presa quando fugia para o Pará, ‘olheira’ do bando que matou o PM ‘Caju’, Susan Encarnação, disse que mulher do deputado Chico Preto provocou o roubo 11/09/2014 às 09:08
Show 1
Susan foi “olheira” e avisou pistoleiros para assaltarem e matarem “Cajú”
Joana Queiroz ---

“Eu fui provocada por ela (Silvana Castro, mulher do deputado Chico Preto) para assaltá-la”. Essa foi a justificativa apresentada nesta quarta-feira (10) por Susan Assunção da Encarnação, a “olheira” do bando que, na semana passada, assaltou e matou o sargento da Polícia Militar José Cláudio Marques da Silva, 46, o “Caju”, que fazia a segurança da esposa do candidato ao Governo do Amazonas Marco Antonio Chico Preto (PMN).

Susan foi presa no rio Amazonas, no recreio “São Cristovão”, quando fugia para Santarém, usando uma carteira de identidade falsa. A prisão aconteceu por volta das 20h, nas proximidades de Itacoatiara (a 267 quilômetros de Manaus) e foi feita por policiais da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (DERFD).

Além dela, o homem que pilotava a motocicleta que levou o assassino de Caju, Jhonatan Paiva Costa, o “Jho Jho”, se apresentou, no início da tarde de ontem, para policiais da Seccional Leste.

Susan confessou que, no dia que Caju foi assassinado, estava na agência bancária quando Silvana, a mulher do deputado, chegou exibindo dois cheques e falando alto que precisava sacar R$ 34 mil para pagar os funcionários. Silvana foi para a sala reservada, recebeu o dinheiro e passou a contar as cédulas na frente de todos. Foi quando Susan passsou a informação para os comparsas, que aguardavam do lado de fora. “Eu só passei a informação. O que aconteceu depois eu desconheço, também não sabia que eles iam matar alguém”, disse Suzan. Ela revelou que decidiu fugir depois que soube, pelos noticiários, que a polícia já estava com a fotografia dela.

O delegado Orlando Amaral informou que recebeu denúncia de que Susan tinha embarcado, por volta do meio-dia, em um recreio com destino a Santarém. O delegado designou três equipes, que foram, pela estrada AM-010, até Itacoatiara. Na cidade, eles foram, de lancha, para o rio, onde passaram a fazer a abordagem dos recreios. Na quarta embarcação abordada, eles encontraram Susan, que viajava escondida em um dos camarotes.

Ela tentou enganar os investigadores, se passando por outra pessoa, mas foi identificada, contou o chefe de investigação da DERFD, Domingos Guimarães.

Homicida

Segundo o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), Susan responde a três processos. Um por furto, outro pelo homicídio da própria irmã, Inis Assunção da Encarnação, morta com 15 facadas e degolada, e outro pelo latrocínio do investigador da Polícia Civil Edson Cota Willot, 45, ocorrido no ano passado, após um assalto na saída de um banco.

Segundo a polícia, Susan é companheira do assaltante Eliomar Moraes, o “ Ninfa Bebê”, que está preso por assalto. Ela será encaminhada hoje para a cadeia Feminina de Manaus, na avenida 7 de Setembro, Centro.

Publicidade
Publicidade