Publicidade
Manaus
Manaus

Mulher é vítima de bala perdida em parada de ônibus de Manaus

Promotora de vendas esperava transporte coletivo para ir ao trabalho quando foi surpreendida pelo tiro, na avenida Grande Circular, Zona Leste 09/12/2014 às 13:18
Show 1
Projétil atingiu braço esquerdo da mulher
VINICIUS LEAL Manaus (AM)

A promotora de vendas Nadiane Fernandes de Lima, 30, esperava ter mais um dia rotineiro na manhã desta terça-feira (9), em Manaus. Ela acordou cedo, foi para o ponto de ônibus e esperava o transporte para ir ao trabalho, em uma parada na avenida Grande Circular, Zona Leste. Entretanto, a violência urbana surpreendeu Nadiane.

Ela estava em pé no ponto de ônibus, que fica próximo a uma unidade de saúde infantil CAIC, quando ouviu barulho de pneus no asfalto e disparos de arma de fogo. Segundos depois, Nadiane foi atingida por uma bala perdida no braço esquerdo, e caiu no chão, assustada. “Só ouvi um disparo. Não imaginei que fosse de arma de fogo”, disse.

Segundo a promotora de vendas, dois carros passaram em alta velocidade pelo local, um veículo de passeio de cor vermelha, não identificado, e outro sendo uma viatura policial, também não identificada a procedência. Os ocupantes dos automóveis portavam armas de fogo, e trocaram tiros durante uma suposta perseguição pela avenida Grande Circular.

“Foi questão de segundos. Só ouvi barulho e senti no meu braço. Não ouvi sirene de polícia. Tinha três ou quatro pessoas por perto (na parada), mas ninguém foi atingido. Apenas eu. Agora eu quero uma solução, quero quem descubram quem atirou em mim”, disse Nadiane ao mostrar os ferimentos com curativos à reportagem.

Ela disse que foi socorrida e recebeu atendimento no Hospital e Pronto Socorro Platão Araújo, na Zona Leste, e em seguida foi liberada. O tiro pegou de raspão no braço dela. Nadiane registrou a ocorrência no 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Cidade de Deus. O caso deverá ser investigado pela Polícia Civil, mas nada foi iniciado.

De acordo com Nadiane, ela também registrará o crime do qual foi vítima na Corregedoria da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), já que o tiro que a atingiu pode ter sido disparado por um policial. A reportagem entrou em contato com equipes da 13ª, 14ª e 30ª Companhias Interativas Comunitárias (Cicom), mas nenhuma delas confirmou o caso.

*Colaborou a repórter Girlene Medeiros

Publicidade
Publicidade